More
    HomeCulturaDaniel Zen afirma que gestão pública de cultura no Acre vai de...

    Daniel Zen afirma que gestão pública de cultura no Acre vai de mal a pior

    Da Assessoria

    O deputado estadual Daniel Zen (PT-AC) comentou, na manhã desta quarta-feira (06), sobre a derrubada dos vetos do presidente Jair Bolsonaro (PL) às Leis Aldir Blanc 2 e Paulo Gustavo. A medida será responsável por injetar cerca de R$ 6,9 bilhões nas cadeias produtivas da cultura, em suas diferentes linguagens, segmentos, setores e formas de manifestação.

    “Os deputados federais e senadores deram um exemplo de como se enfrenta aqueles que desprezam a cultura, a história e a memória do nosso povo. A Cultura brasileira é responsável por mais de 4% do PIB nacional. Tentar impedir que essas leis injetassem recursos em suas cadeias produtivas, como fez o Presidente da República, é um crime. Os vetos foram derrubados e agora estão no chão. Com isso, a Cultura poderá seguir de pé!” comentou o parlamentar de oposição ao governo bolsonarista de Gladson Cameli (PP-AC).

    Zen estabeleceu um paralelo sobre a derrubada dos vetos e a gestão pública de Cultura no Estado do Acre: “Aqui as coisas vão de mal a pior. Não há diálogo com a classe artística. A atual direção da Fundação de Cultura Elias Mansour (FEM) acaba de lançar um edital de fomento a projetos culturais que está cheio de erros. Não respeitam a democracia, nem a opinião dos artistas e dos fazedores de Cultura do nossos Estado”, afirmou o deputado.

    Daniel Zen ainda comentou sobre os espaço físicos culturais e as recentes obras anunciadas pelo governo: “O Teatrão está abandonado, de portas fechadas; a Tentamem está desabando; e a Biblioteca da Floresta até pegou fogo. A sede da FEM, o Cine Teatro Recreio e a Biblioteca Pública são do jeito que são hoje graças às obras estruturantes realizadas durante o governo Binho Marques, quando eu era o diretor-presidente da FEM. O atual governo apenas renovou a pintura desses espaços e os ‘reinaugurou’, como se fossem obras suas.”

    “Não bastasse todo esse cenário, de todas as secretarias do governo para onde nós, deputados estaduais, destinamos emendas parlamentares individuais, o único órgão que não conseguiu liberar nenhuma delas foi, justamente, a FEM. É muito descaso”, finalizou o Líder do Partido dos Trabalhadores na ALEAC.

    LEAVE A REPLY

    Please enter your comment!
    Please enter your name here

    vale a leitura