Importada do DF, Murano é a empresa da moda no governo Cameli

2

No meio empresarial acreano, o nome mais falado nos últimos dias é a palavra Murano.

Comenta-se que é uma empresa que tem abiscoitado a maioria das obras que estão ou serão realizadas pelo governo do Estado.

Murano é um nome imponente. Bonito. É nome da empresa que, supostamente, está servindo de cobertura para a realização de serviços de engenharia no Acre.

E não é tão grande para abarcar tanta coisa.

Trata-se de uma empresa individual de responsabilidade limitada, com sede no Distrito Federal.

Mas como essa empresa chegou ao solo acreano?

A pergunta é fácil de responder.

No fim do ano passado, essa empresa conseguiu ganhar dois lotes numa licitação realizada no campus do Instituto Federal Goiano, no município de Ceres.

Somados, os valores do lotes superam os R$ 55 milhões.

Alguém descobriu a existência desse processo e trouxe para o Acre.

O governo acreano, que demonstra pouca afinidade com a realização de licitação, fez a adesão da ata, no valor superior a R$ 24 milhões.

Desde a adesão, segundo fonte do setor empresarial, a administração estadual vem se deleitando com a ata da Murano.

Estaria fazendo, como se diz no jargão popular, do “alfinete ao foguete”.

Ocorre que as coisas não devem e nem podem ser feitas ao arrepio da lei.

Essa ata da Murano não possibilita a realização de obras em rodovias. E, segundo informações publicadas aqui no Portal do Rosas, isso está acontecendo.

Há boatos que essa empresa também será a responsável pela obras de preparação do Parque de Exposições Wildy Viana para a realização da Expoacre.

Tudo pode esbarrar nos órgãos de controle, casos esses decidam cumprir com o papel que lhes cabe.

A ata da Murano é bem clara. Prevê apenas a prestação, sob demanda, de serviços comuns de engenharia inerentes à manutenção predial preventiva e corretiva de bens imóveis.

Essa mesma ata assegura o fornecimento de peças, equipamentos, materiais e mão-de-obra.

Até hoje, porém, não se viu nenhuma placa dessa empresa em nenhuma obra em execução.

Também não foram vistos funcionários uniformizados com o nome da empresa.

Murano é descrita como uma ilha da lagoa de Veneza, linda cidade italiana.

Mas é na verdade, um arquipélago formado por sete ilhas menores, das quais duas são artificiais (Sacca Serenella e Sacca San Mattia), unidas por pontes entre si.

Murano é um local famoso pelas obras em vidro de Murano, particularmente objetos decorativos e candeeiro.

Quem tem o dever de fiscalizar não pode cumprir papel decorativo.

2 thoughts on “Importada do DF, Murano é a empresa da moda no governo Cameli

  1. Passou 20 anos e nunca se falou em pedir fiscalização, agora c quer que seja fiscalizado ? Se for fiscalizar, do jeito certo, se prepara meu amigo, é capaz de você ter que devolver dinheiro aos cofres publicos. Depois de 20 anos você se curou da cegueira, é um milagre. Se manca e vai procurar o que fazer… Explica um pouco melhor a respeito da caminhonete que vc usava como se fosse sua, com combustível pago pelo estado e outras regalias. O que o sr tem a dizer sobre isso ?

  2. Tem que trazer empresa de fora mesmo, quase todas as construtoras do estado foram quebradas no governo do PT, não receberam o serviço que foi executado e tiveram que fechar as portas.

Deixe uma resposta

Next Post

Estoque de sangue do Hemoacre está praticamente zerado

seg jun 17 , 2019
A situação está feia na Saúde pública. A mudança no comando da pasta pouco, ou […]
%d blogueiros gostam disto: