Zona Azul completará cinco anos e ainda gera polêmica entre acreanos

Prestes a completar cinco anos de existência, a Zona Azul ainda é alvo de críticas e elogios por parte dos usuários. O estacionamento rotativo começou a funcionar em dezembro de 2014, inicialmente em cinco ruas todas no centro de Rio Branco. Hoje sistema já opera em 32 ruas da cidade.

O estacionamento rotativo tem como objetivo democratizar o uso dos espaços públicos em Rio Branco. Para o estudante universitário Cleson Lima, hoje é bem mais prático ir no centro da cidade.

“Eu tenho uma moto, e hoje por exemplo tive que vir aqui no centro comprar uns tecidos, antigamente eu não conseguiria parar minha moto tão perto assim de onde eu vou”, o estudante também critica as formas de pagamento.

“Eu só acho que o parquímetro deveria aceitar notas, nem sempre tenho moedas para pagar e nem sempre as moças estão por perto”.

Nas dezenas de cidades onde foi implantada, a Zona Azul gerou dúvidas e críticas em um primeiro momento, as pessoas passaram a ver a solução porque não tinham mais problema de estacionamento nas áreas de grande fluxo, como é o centro de Rio Branco. Nessa região, circulam cerca de 70 mil pessoas todos os dias – grande parte de funcionários públicos, empresários e trabalhadores do comércio.

A funcionária pública Bruna Chaves explica como era o cenário dos estacionamentos no centro de Rio Branco. “Antes, praticamente todas as vagas eram ocupadas por pessoas que trabalhavam aqui no centro, essas pessoas chegavam cedo e sobravam pouquíssimas vagas. Hoje essas pessoas que vêm de carro para o trabalho têm que pagar os estacionamentos privados, e quem eventualmente vem resolver alguma coisa consegue estacionar o carro, assim, tem seu lado bom e lado ruim, mas pensando de forma mais coletiva vejo que tem benefícios”.

Entenda Como Funciona 

As monitoras, “azulzinhas” não são agentes de trânsito, portanto, aquele aviso que elas colocam no carro, que é um aviso de irregularidade, não é uma multa. Trata-se de um tipo de informação ao usuário, dizendo que a empresa passou e que ao fazer a inspeção (trabalho das monitoras) não foi encontrado tíquete no sistema, dessa forma o sistema imprime automaticamente o aviso de irregularidade, que se for pago dentro de 10 minutos, como fala no texto, pode ser regularizado com o menor tempo que é de 30 minutos.

Porém, passados os 10 minutos, o usuário fica passível de ser autuado pelo RBTRANS que é o órgão competente, onde o mesmo tem um sistema, que após o tempo regulamentado, recebe automaticamente em seu sistema, e quando chega até o local, se o veículo ainda estiver estacionado, é lavrado o Auto de Infração de Trânsito pelo agente de Trânsito da RBTRANS, que depois do trâmite processual irá se transformar em multa de trânsito efetivamente.

Depois dos 10 minutos 

Se o usuário chegar antes do agente, ainda pode ser resolvido pagando o Aviso de Irregularidade, que funciona como se fosse uma multa administrativa, no valor de R$ 5 para carro e R$ 2,50 para moto, onde após esse pagamento, dá direito ao motorista a ficar por mais 2 horas estacionado, contudo, se o agente de trânsito chegar e autuar, depois não adianta fazer o pagamento do aviso, pois isso não irá retirar o auto de infração, pois o mesmo já foi lavrado.

Com a Zona Azul são gerados 17 empregos diretos e pelo menos mais a 15 indiretos, administrados pela empresa Serttel. De acordo com Ângelo Máximo, gerente filial da Serttel são 28 parquímetros instalados na cidade.

“São 28 máquinas espalhadas pela cidade, com supervisão diária e manutenção em no máximo 20 a 30min após a detecção do problema. Aceita apenas moedas, nos valores de R$ 0,50 até R$ 1. São 13 monitoras que supervisionam e fazem a venda de tíquetes para os usuários, bem como a venda de recarga para aplicativo da Zona Azul e pagamento de Aviso de Irregularidade”.

As monitoras aceitam valores em espécie e em moeda. Segundo Lei do Troco (Lei Municipal Nº 2.185 de 10 de maio DE 2016), nota máxima aceita R$ 10.

Aplicativo Celular

Compatível com sistema Android e iOS (iPhone). Aceita compra de saldo na função crédito e débito diretamente pelo Aplicativo através de transação on-line, também pode ter saldo comprado com as monitoras e nos pontos de vendas.

Com aplicativo ainda há a possibilidade de usufruir da tarifa ATIVA/DESATIVA, onde o usuário pode reaver o valor referente ao tempo não utilizado diretamente no saldo do seu aplicativo.

“Hoje já temos instalados, 10 pontos de vendas fixos no centro da cidade, temos previsão de 26, estamos fechando parceria com comerciantes para que sejam nossos representantes e desta forma, sejam referência para que no momento em que o usuário procurar uma monitora em não as encontrar, tenha um ponto de venda próximo para lhe auxiliar, ou ligar para nosso call center (68) 3321-2977”, finaliza Máximo.

Pontos de vendas já instalados

Banca de Revista – em frente a prefeitura

Banca de Revista – frente a caixa econômica

Simão Festa – próximo Mercado Elias Mansour

Durval Cópias – box em frente Fórum Barão do Rio Branco

Relojoaria Rio Center – na Esquina da Alegria

Banca de Revista – em frente a Galeria Cunha

Restaurante Lanchonete Rio Branco – ao lado da Oca

LudyCosmeticos – próximo terminal

Salão Arte da Beleza – em frente ao Centro Empresarial

Próximos ponto a serem ativados

TicTac Fantasias –  na rua Floriano Peixoto

Nena Confecções – próximo a Galeria Meta

Papelaria Arnaldo – na rua Rui Barbosa

Related Posts

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

%d blogueiros gostam disto:
Close Bitnami banner
Bitnami