Vídeo: No país da violência doméstica, filha de Silvio Santos defende estupro consentido

Por Tácio Jr.

“Mulher não pode negar fogo para o marido, senão ele vai procurar em outro lugar, tá na Bíblia”. Tal declaração, no mínimo misógina, não seria tolerada em qualquer que fosse a situação. Mesmo que proferida por um homem. Pior, se dita por uma mulher, como foi o caso. E tal injúria ainda partiu de uma personalidade famosa: a filha de Silvio Santos, Patrícia Abravanel, durante um daqueles programas do pai no último domingo (1), no SBT – a emissora do próprio Silvio.

Pudera. Patrícia acostumou-se a ver o pai, um senhor branco e rico de 88 anos, assediar e constranger sexualmente mulheres na televisão. Se o velho dono do Baú não se intimida diante das câmeras, há de se imaginar o que ele faz longe delas, diante de qualquer pessoa como a própria filha.

De Senor Abravanel, o pai, um machista, abusivo, não poderíamos esperar nada de melhor. Mas, de Patrícia Abravanel, chega a ser uma violência sem tamanho. Se nem mulheres públicas, que aparecem em um veículo de massa, se dão ao trabalho de agir com empatia com outras, o que podemos esperar dessa sociedade que arrota todos os direitos para si – mesmo sem tê-los ou sabê-los – e nenhum para outrem?

Patrícia é casada com o deputado federal, pelo PSD, Fábio Faria. Ela comanda uma atração na mesma emissora e participa de um dos quadros no programa do pai, onde fez tais declarações e foi contestada por uma colega de palco, Lívia Andrade, que defendeu as mulheres afirmando que não é preciso mentir quando não se quer transar. “Não estou a fim e pronto. Mas tá na bíblia? Vou para o inferno, porque eu não sou obrigada mais”, disse Lívia, ao fazer alusão a tempos passados onde a esposa estaria sujeita às ordens do marido. Outros artistas também se mostraram indignados ainda no palco e Patrícia foi massacrada pelo público nas redes sociais, indo parar nos TT do Twitter por suas declarações machistas.

A internauta Carol Barros (@carolulabarros) escreveu que “Patrícia Abravanel é o retrato da mulher criada pela sociedade machista, patriarcal, que foi educada para “servir” os homens. Esse tipo de discurso que faz com que mulheres vivam em um relacionamento abusivo, sendo violentadas e humilhadas pelos maridos (em nome de Deus)”.

Já o internauta André Prado (@s_andreprado), lembrou que Patrícia é reflexo das atitudes misóginas do pai. “Eu não estou surpreso. Olha o pai que ela tem, mas quando ele paga de “sem noção” todos acham graça. É um animador que virou youtuber”, afirmou.

O Brasil caminha para liderar o ranking mundial da violência contra a mulher. Em janeiro deste ano, a organização internacional Human Rights Watch divulgou relatório apontando que nosso país enfrenta uma epidemia de violência doméstica. Os números podem ser ainda maiores ao considerar que muitos casos não são enquadrados corretamente como violência de gênero.

A violência contra a mulher envolve questões culturais que perpassam não só os indivíduos, mas as instituições formadas por eles. A Organização Mundial da Saúde coloca o Brasil no 5º lugar dos países que mais matam mulheres no mundo no contexto doméstico e familiar.

Veja abaixo a declaração de Patrícia Abravanel e a contestação de sua colega de palco.

Related Posts

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

%d blogueiros gostam disto:
Close Bitnami banner
Bitnami