TV Espinhosa – Se tem compromisso com o combate à corrupção, Rocha terá que exonerar mais gente; exonerar procurador-geral com base em denúncia parece vingança

O que Wherles Rocha fez hoje me fez viajar há trinta anos, quando o Estado era governador por Edmundo Pinto e Romildo Magalhães.

Sempre que Edmundo Pinto viajava, Romildo tratava de demitir os secretários pelos quais não tinha apreço.

A história traz algo semelhante.

Gladson viajou, Rocha anunciou a demissão do procurador-geral do Estado.

É um fato muito importante.

O vice tocou fogo no parquinho.

A TV Espinhosa está no ar.

Sinto-me muito à vontade para falar sobre o que passaram a chamar do “Escândalo do Precatório”.

Fui o primeiro a tratar sobre o tema, quando ninguém tinha coragem de abordar.

Se realmente for comprovado, o escândalo é de arrepiar cabelo do careca.

Mas é preciso ter bom senso e coerência.

Ler o que está por trás de cada ato.

A anunciada exoneração do procurador-geral do Estado, João Paulo Setti, está longe de ser pautada no interesse público.

Tudo está sendo feito na base da ilação ou de vingança.

Embora muito se tenha falado, não há prova que desabone a conduta do procurador.

Não concordo com a condenação sem o devido julgamento.

Mesmo sendo de pessoas com as quais eu não tenha afinidade no campo pessoal e político.

Nesse caso, o que há é uma denúncia.

Não se deve achincalhar e jogar na lama um servidor público concursado por puro interesse político.

Ao exonerar o procurador, Rocha, que está governador em exercício, não atinge somente a João Paulo Setti.

Atinge em cheio à toda instituição chamada Procuradoria-Geral do Estado.

Isso não deve ser feito.

Também joga um problema político para o governador titular.

Se realmente está preocupado em combater a corrupção, Rocha pode usar a caneta para exonerar muita gente dentro do governo.

Ele mesmo fez as mais variadas denúncias.

A caneta está com ele nos próximos dias.

Basta usá-la sem querer escolher apenas uma pessoa como símbolo.

Se quiser e for coerente, pode esgotar várias canetas.

Caso fique apenas em João Paulo Setti, irá revelar que as suas ações são meramente politiqueiras.

Quando retornar da Escócia, onde foi mostrar o vazio de politica ambiental do seu governo, Gladson Cameli terá muito incêndio para apagar no parquinho governamental.

Como é de domínio público, o governo Edmundo e Romildo não terminou bem.

Será que esse irá terminar?

Finalizo dizendo que não tenho qualquer relação com o procurador exonerado.

Se ele errou, que pague.

Só não concordo com condenação pela mídia.

Seja ela de quem for.

=====

Essa vai doer.

Gladson Cameli certamente vai desfazer o que Wherles Rocha está fazendo.

Mas será que será o suficiente?

Como não tem nada a fazer na COP-26, o correto seria o governador tomar o caminho de casa.

Será que a responsabilidade dele com o Estado permitiria que tomasse uma atitude como essa?

Duvido.

Fui!!

Vida que segue.

Se quiser e puder, contribua com o Espinhoso.

A chave Pix está no final do vídeo.

Tchau, forte abraço e um cheiro do Rosas

Related Posts

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

%d blogueiros gostam disto:
Close Bitnami banner
Bitnami