TV Espinhosa – Pressionando e com os olhos espichados para o calendário eleitoral, governador opta pelo liberou geral

Depois de muita pressão, o governador Gladson Cameli assinou o decreto que permite a abertura do comércio e das igrejas nos fins de semana e feriados.

Esse é o problema: ele só age na pressão.

Adota medidas sem justificar cientificamente.

As coisas não podem ser assim?

Fica sempre a impressão de que o governador está mais preocupado em salvar votos do que salvas vidas.

O que você acha?

Vamos ver isso na TV Espinhosa?

Gente, essa TV Espinhosa e o Portal do Rosas não têm patrocinadores.

Eu entendo.

Afinal, quem vai querer patrocinar a quem não tem medo de expor os desmandos de um governo sem comando?

Por isso eu peço, se puder, e quiser, contribua.

A chave PIX está no www.portaldorosas.com.br.

Também está aqui embaixo.

Toda contribuição é bem-vida.

Ante de irmos para a mais uma TV Espinhosa, peço que curta e compartilhe tanto no Facebook quanto no YouTube.

É bem fácil e ajuda muito na divulgação.

Vamos lá?

Contrariando os números, as evidências, a ciência e até o Ministério Público, Gladson Cameli resolveu permitir a abertura do comércio e das igrejas nos fins de semana e feriados.

Não tomou a decisão baseado em dados científicos.

Agiu porque foi pressionado e teme perder votos.

Ele já se disse candidato à reeleição.

Convenhamos, a política não pode sobrepor à vida.

Esse governo vem errando porque não tem o hábito e a habilidade de dialogar.

O governador diz que manda, mas só atua por impulso, pela pressão.

Quero destacar que não sou contra a abertura do comércio e nem dos templos religiosos.

Acho que não será o fechamento das portas que ira evitar a propagação da Covid-19.

Sou favorável que haja uma forma de abrir a cabeça da população para a conscientização, enquanto a vacina não chega.

Nunca fui contra abertura, mas sempre apontei o diálogo como caminho para pacto social, basta assistir e ler as várias declarações e sugestões apresentadas aqui no Portal.

Enquanto boa parte da população não se conscientizar sobre o quanto o vírus é mortal, nenhum governo conseguirá controlar a sua propagação.

De portas fechadas ou abertas.

Esperar por vacinação em massa é sonho distante.

O Brasil errou lá atrás, quando negligenciou na compra do imunizante.

Temos um presidente que se comporta como genocida sim.

E o governador do Acre lhe apoia.

Aqui no Acre, o governador vendeu falsas expectativas que estão longe se concretizar.

Enquanto a vacina não vem, o negócio é procurar medidas paliativas.

É fundamental um pacto social pela vida.

E como isso pode acontecer? Somente com a união e comprometimento de todos.

O ponto principal é o governador começar a trabalhar com aquilo que lhe é quase impossível: falar a verdade.

O governo precisa investir em campanhas educativas e de conscientização com mensagens fortes.

Não vale mentir como quando disse que o Acre tem a maior campanha de vacinação da história.

E a campanha não pode ser água com açúcar.

Tem que colocar quem sentiu os efeitos da Covid para falar.

Sejam os que ficaram curados ou quem perdeu entes queridos.

Os empresários, que tanto pressionaram pela abertura do comércio, podem contribuir muito.
As maiores empresas investem pesados em publicidade para vender carne, tomate, cebola e outros produtos.

Essa gente poderia muito bem destinar um pouco dos recursos para fazer propaganda contra a Covid.

Não perderiam nada.

Só ganhariam.

Por fim, deixo para falar no líderes religiosos.

É inconcebível que ainda tenha liderança orientando os seus fieis a não se vacinarem. Vendendo água benta com a promessas de cura.

Quem age assim é criminoso.

Os líderes religiosos podem contribuir, sobremaneira, para combater o vírus e salvar vidas.

Basta querer.

Basta o governo chama essa turma para um pacto pela vida.

A politica sozinha não resolve.

Há exemplo positivo em Cruzeiro do Sul, segunda maior cidade do Acre.

O prefeito Zequinha Lima vem obtendo bons resultado com ações educativas, que ainda podem ser melhoradas.

Enquanto em Rio Branco, o prefeito negacionista ainda fala em tratamento com cloroquina.

A verdade é que medidas intempestivas, desconsiderando a ciência e somente olhando o calendário eleitoral são ingredientes para a tragédia.

Solidariedade, diálogo e compromisso com a verdade sempre levam à vitória.

É o que penso.

Vida não tem preço.

Vida que Segue.

Gostou desta TV Espinhosa?

Curta e compartilhe tanto no Facebook quanto no YouTube.

Colabore com a nossa campanha de sobrevivência.

A Chave PIX está aqui embaixo.

O Espinhoso aqui agradece.

Tchau e forte abraço com cheiro de Rosas.

Related Posts

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

%d blogueiros gostam disto:
Close Bitnami banner
Bitnami