TV Espinhosa – Gladson, o governador que aglomerou e dançou na campanha, é chamado para o baile da tragédia anunciada

Olá!

Vamos espinhar?

Não fiquei surpreso com a decisão do governo de mandar fechar tudo.
Essa decisão chega tardia.

Há muito tempo venho dizendo aqui para olharmos os sinais.

O desespero do governador era visível.
O cara que mandou trazer pacientes do Amazonas, de uma hora para outra mudou o discurso.

Passou a defender o fechamento das fronteira e das divisas do Acre.

Não estou surpreso porque tinha informações para além das oficiais, que tentavam passar um ar de normalidade.

Eu sabia que não estava nada normal.
Que os leitos de UTI há muito tempo deixaram de existir.

Que foi criada uma fila da morte.

Eu sabia, e falei diversas vezes, que caos está instalado no Sistema Público do Acre.

Mas o governo fingiu que não estava vendo, que tudo estava sobre o controle.

Esse agravamento não é de hoje.

Lembro que em plena campanha o candidato Daniel Zen alertava sobre a gravidade do que chamou de “Covidaço”.

Não foi ouvido.
Até então prefeita Socorro Neri, que sempre foi responsável e zelosa, relaxou um pouco nas medidas.

O que falar do governador?

Esse falava uma coisa, mas fazia outras.
Vários são os vídeos onde Gladson Cameli aparece aglomerando e dançando.

Em algumas ocasiões sem máscara.

O líder precisa dar exemplo.

No Acre, oitenta por cento dos eleitores votaram no presidente Jair Bolsonaro.

E tem alguém que seja mais aliado do vírus do que o seo Jair?

Lideranças religiosas desconsideram a gravidade da situação e até incentivam que os seus fieis não sejam vacinados.

Setores da imprensa pegam a morte de um indígena por outros motivos e deixam nas entrelinhas que o óbito ocorreu por causa da vacina.

Qual o objetivo de se ter uma postura dessa?

O atual prefeito, Tião Bocalom, pouco falou sobre a pandemia.

E quando abriu a boca foi para proferir bobagem, como a necessidade de todos se contaminarem para ficarem imunizados.

Que sociedade é essa em que vivemos, onde a mentira passou a ter mais valor do que a ciência?

Penso que chegou a hora da verdade.
Até agora, a Covid foi a maior aliada do governador.

O vírus permitiu que a população não percebesse o tanto que o governo é fraco, que há muitos outros problemas que foram jogados sob o tapete.

Mas não faltará oportunidade para tudo vir à tona.

Gladson Cameli se engana ao pensar que tudo voltará à normalidade por meio de decreto.

O Estado, se necessário, terá que usar sua força. Resta saber se ele terá coragem para tanto.

A sociedade, mesmo com tantas mortes, parece disposta a pagar para ver.

Eu não quero ver.

Torço para que a vacina chegue logo para a maior quantidade de pessoas possíveis.

O problema é que para que isso aconteça não depende de torcida.

Depende de ação governamental, principalmente do governo federal.

É ai que mora o problema.

Vamos nos cuidar.

Quanto à vacina, chega da história do “me dê que eu tomo”.

Precisamos mesmo é tomar atitude, pois ainda teremos dias muitos difíceis pela frente.

Para se ter uma ideia, há a terrível hipótese de que diversas variantes do coronavírus podem nos tornar suceptíveis à várias reinfecções, mesmo que já estejamos vacinados.

E, para completar o pacote, ainda tem o mosquito da dengue rondando as nossas cabeças e lares.

E dengue também mata.

Vida que segue.

Gosto desta TV Espinhosa?

Compartilhe para que possamos chegar mais longe.

Se não gostou, compartilhe também até para falar mal.

Tchau!

Forte abraço e até a próxima.

Related Posts

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

%d blogueiros gostam disto:
Close Bitnami banner
Bitnami