TV Espinhosa – Direto do paraíso do Senado, Bittar quer pobre pagando universidade pública; e ainda fala em eleger a esposa

Eleito senador da República pelo Rio de Janeiro, o professor Darcy Ribeiro declarou que o Senado era melhor que o paraíso, porque para chegar lá não seria preciso morrer.

Darcy Ribeiro era um intelectual renomado, um professor, sabia a importância da Educação.

Não era um tosco como Marcio Bittar, que hoje ocupa uma cadeira de senador.

Direto do paraíso concedido pelo pobres acreanos, Bittar trabalha contra a Educação Pública e tudo o mais que possa beneficiar a quem mais precisa.

É a tal da consequência do voto maldado.

Vamos ver isso na TV Espinhosa, que está no ar.

Tosco, ignorante e sem formação intelectual, Marcio Bittar é a expressão acabada do bolsonarismo.

É um cidadão que ganhou o seu primeiro mandato parlamentar voando nas asas de um fantasma chamado Flávio Nogueira, de triste memória dos acreanos.

Já foi comunista, socialista e agora se apresenta como de extrema direita.

Esse cidadão, de tanto tentar, conquistou um mandato de senador da República.

No paraíso terreno, tem se especializado em dizer e fazer bobagens.

Contrariando os cientistas e às evidências, disse que a história de aquecimento global é balela.

Bittar é o senador que gosta de mandar recursos para outros estados.
É o relator do orçamento que guarda muitos segredos.

Que retirou dinheiro da Saúde e da Educação para beneficiar parlamentares governistas com emendas parlamentares.

Que colocou cem milhões de reais em uma entidade de saúde toda enrolada.

Esse assunto, aliás, ainda será mais bem abordado.

Esse senhor declarou que os professores acreanos são privilegiados.

Isso mesmo: privilegiados.

Agora, nas suas raras aparições no Acre, defende que os estudantes paguem para ingressar nas universidades públicas.

Diz que pobre não entra nessas universidades, o que é uma mentira deslavada.

De fato, pela falta de vagas suficientes nas universidades públicas, houve governos que criaram programas como o ProUni e Fies, além de escolas profissionalizantes.

Foi quando filho de lavrador teve oportunidade de virar doutor.
Que pobre ampliou as possibilidades de ingressar no nível superior.

Isso faz parte de um passado recente.

Marcio Bittar nunca teve capacidade de ingressar numa universidade pública por sua limitação intelectual.

Concluiu o curso superior numa dessas universidade de tiro curto em Brasília, e não faz muito tempo.

Marcio Bittar é um dos oitenta e um brasileiros privilegiados que estão no paraíso do Senado.

Montado em um forte esquema anuncia que pretende eleger a sua esposa, a senhora Marcia Bittar, senadora da República.

Uma cadeira de senador é de grande responsabilidade.

Se um Bittar já faz estrago demais.
Imagine dois no paraíso.

Bittar disse que as universidades estão um lixo.

O que dizer de uma pessoa igual a ele?

Sempre estudei em escola pública.

Vou parar por aqui para não receber mais um processo.

Só digo que nesse dia da Revolução Acreana, pessoas como Bittar estão longe de heróis como Plácido de Castro.

Estão mais para Gabino Besouro e Alexandrino José, o mandante e o executou da emboscada que tirou a vida do comandante da nossa revolução.

Pense bem.

Vida que segue.

Tchau, forte abraço, com o cheiro do Rosas.

Related Posts

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

%d blogueiros gostam disto:
Close Bitnami banner
Bitnami