TV ESPINHOSA – Chegou a semana de Bolsonaro provar a fraude na urna eletrônica. Será que conseguirá?

O dia está marcado

Na sua live semanal de quinta-feira, Jair Bolsonaro promete apresentar as provas de que houve fraude nas urnas eletrônicas.

Bolsonaro disse: “vou demonstrar em três momentos a inconsistência das urnas, para ser educado. Não dá para termos eleições como está ai”.

Seria para rir, se o objetivo principal não fosse golpear a democracia.

A TV Espinhosa está no ar.

Embora tenha anunciado, Jair Bolsonaro não irá apresentar provas nenhuma de supostas fraudes nas urnas eletrônica.

Não apresentará porque as tais provas não existem.

Ao contrário do que o presidente e os seus aliados dizem, o voto eletrônico é seguro e auditável.

Criado há vinte e cinco anos, o sistema nunca apresentou um caso de fraude.

Jair Bolsonaro e os seus filhos foram eleitos e reeleitos por meio da votação eletrônica.

Fraude é esse discurso que coloca um modelo exemplar para o mundo em xeque.

Bolsonaro se inspira em Donald Trump, ex-presidente americano que quase desmoralizou a maior democracia do planeta.

Lá, Trump foi barrado pela regras de freio e contrapesos dos regimes democráticos.

Não levou os militares à uma aventura golpista.

A postura do presidente, parece coisa de quem está com medo de perder. Por isso, cria uma narrativa para tentar dar um golpe na democracia.

E o que é pior: tem uma elite militar assanhada com essa possibilidade.

Para tentar dar robustez ao discurso presidencial, o relator da PEC do Voto Impresso, deputado federal Filipe Barros, do PSL do Paraná, postou um vídeo.

Nesse vídeo, o deputado aparece conversando com um hacker acusado de participar de um megavazamento de dados da população brasileira e de invadir o site do Tribunal Superior Eleitoral, em 2020.

Na gravação, Marcos Roberto Correia da Silva, que está preso em Minas Gerais, afirma que teria obtido dados de eleitores e que conseguiria manipular os votos da urna eletrônica pela internet, o que não é verdade

O ataque hacker ao TSE no ano passado atingiu apenas dados administrativos do tribunal, da área de recursos humanos, e informações públicas disponíveis no Portal da Transparência.

Seria esse o tal hacker do “bem” anunciado por Bolsonaro?

Marcos Roberto Correia da Silva, conhecido como “VandaTheGod”, foi preso pela Polícia Federal em 19 de março deste ano.

Ele é suspeito de ser um dos responsáveis pelo megavazamento de dados com informações pessoais de 223 milhões de brasileiros, que posteriormente teriam sido comercializados em fóruns da deep web.

O jornal Folha de S. Paulo noticiou que Silva chegou a fazer anúncios informais no próprio Twitter, em troca de bitcoins.

O hacker também foi investigado em outros casos de invasões, contra sistemas do Senado Federal e do Exército, entre outros.

O rapaz pode ser hacker, mas está longe de ser do bem.

É nesse tipo de gente que o presidente se apega para sustentar uma versão fantasiosa?

O pior é que há quem creia na história.

O discurso do voto impresso é a antessala do golpe.

Quem defende a democracia precisa ficar atento.

Porque Bolsonaro vai provar mesmo é que tem pouco apreço pela verdade e que se borra de medo de enfrentar um candidato como o petista Luiz Inácio Lula da Silva nas urnas.

Que venha quinta-feira….

Vida que segue.

Tchau, forte abraço, com cheiro de rosas.

Related Posts

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

%d blogueiros gostam disto:
Close Bitnami banner
Bitnami