TV Espinhosa – Alguém viu as obras do governo Gladson Cameli por aí?

Olá!!!

Está provocado que, como governador, Gladson Cameli é um ótimo piadista.

Semana passada, sem treme a cara, ele disse que fez, em dois anos, o que os seus antecessores não fizeram em vinte anos.

A declaração seria risível, se não fosse ridícula.

Vamos ver isso em mais uma TV Espinhosa?

Antes, peço que curta e compartilhe o vídeo tanto no Facebook quanto no YouTube.

Vamos lá?

No afã de responder a críticas feitas pelo ex-governador Jorge Viana, Gladson Cameli produziu algumas pérolas.

A primeira é que está pagando as contas do governo anterior.

Ora, todo governador sempre pagará conta de quem lhe antecedeu.

Isso é óbvio e praxe na administração pública.

Ao contrário do que tenta vender desde o primeiro dia de governo, Gladson pegou um estado com ótima saúde financeira.

Com nota B conferida pelo Secretaria do Tesouro Nacional.

Agora, de fato, o governo que antecedeu Cameli deixou de pagar metade do décimo terceiro salário da metade dos servidores.

Os salários em si, porém, foram pagos em dias.

Na época, eu defendi que deixasse de pagar os aposentados e pensionistas.

A defesa não era por maldade.

Era porque a Previdência estadual tornou-se um dos maiores problemas do governo, principalmente porque o tio do atual governador tirou mais de um bilhão do fundo previdenciário para construir umas casas que nunca saíram do papel.

Não pagando aposentados e pensionistas seria uma medida dura, mas serviria para mostrar onde está o buraco do Acre.

Gladson não diz, por exemplo, que herdou um bilhão e trezentos milhões em caixa para fazer obras.

Fico pensado se tivesse herdado um governo como Jorge Viana, herdou com os funcionários com mais de quatro meses com salários atrasados e com o Estado praticamente na ilegalidade.

Os mais antigos devem lembrar que, em momento algum, Jorge Viana reclamou.

Tratou de trabalhar.

Outra coisa que merece ser explicada é sobre as tais verbas rescisórias.

Gladson vende a história com se a dívida fosse do governo anterior.

Não é.
A divida é do governo.

Vou citar o meu exemplo.

Fui porta-voz do governo até o último dia, não poderia, portanto, receber sem o meu contrato de trabalho ter sido rescindido.

É óbvio.

As verbas rescisórias têm que se pagas pelo atual governo mesmo, sem escolher apadrinhados, como está acontecendo.

Tenho uma boa grana para receber, mas sei que dificilmente irei pôs a mão no dinheiro no atual governo.

O governador, que até agora se escondeu na Covid-19, nem as dívidas do estado com a União está pagando.

Faz caixa com dinheiro que poderia está em circulação.

Em maio do ano passado, o governo federal autorizou a suspensão do pagamento das dividas dos estados, municípios e do Distrito Federal.

Dinheiro, portanto, há, o que falta é gestão.

Especialista em pintar prédio público com azul partidários, Gladson pode se tornar o governador tinta Coral, pois não atingiu o nível da Suvinil.

Esse governador, cuja principal obra é a pintura da caixa d’água no bairro Seis de Agosto, disse que o governo tem obra em todos os cantos do Acre.

Deve ser pela existência de tantas obras que o Acre tem mais de sessenta mil pessoas desempregadas e outras cento e setenta e um mil desalentadas.

O governo de Gladson Cameli, segundo ele, deu certo.

Talvez tenha dado para as muitas empresas que foram importadas do Amazonas.

E Gladson continua dizendo que pretende renovar o mandato por mais quatro anos.

Nem os seus antigos aliados votarão nele outra vez.

E a vida segue.

Gostou desta TV Espinhosa?

Curta e compartilhe tanto no Facebook quanto no YouTube.

No YouTube ative o sininho para receber notificações.

O Espinhoso aqui agradece.

Tchau e forte abraço com cheiro de Rosas.

Related Posts

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

%d blogueiros gostam disto:
Close Bitnami banner
Bitnami