Tião Viana dá tiro de canhão contra ataques covardes de Roberto Vaz

Ano após ano sendo agredido diariamente pelo senhor Roberto Vaz, Tião Viana respondeu ao jornalista achacador do tamanho que ele merece.

A resposta vem porque, mais uma vez, Vaz mente contra a honra do ex-governador, atentando, também, contra a honra da sua família.

Como acompanhei os ataques de perto, entendo a resposta de Tião Viana. E aproveito para lembrar ao agressor chantagista que crime de pedofilia não prescreve.

Leia o texto escrito por Tião Viana:

A vida tem suas fases, a luta por um mundo melhor vem como as águas nas ondas, no sobe e desce.
O Brasil vive a era dos monstros ( já dito na década de 30 por Gramsci), os sintomas/sinais mórbidos estão soltos, alimentam a volúpia dos covardes, gananciosos e mentirosos.
Meu interesse, após 24 anos de militância tendo feito tudo que pude a favor do Acre, tem sido o justo recolhimento para cuidar um pouco de mim e dos que eu tenho obrigação pessoal. Tem sido de estudar, organizar e enfrentar novos desafios. Um encontro duradouro com a vida acadêmica, com a medicina e trabalhos que gosto de dedicar-me.
Mas, alguns covardes e populachos de plantão não cansam de procurar caluniar-me, injuriar-me, ofender-me. É como suas consciências sem caráter e honra procuram alimentar-se.
O exemplo típico, que já não tenho obrigação de conter-me, ao qual tantos anos respondi com o silêncio ou recorrendo à justiça(agora mesmo ele está sendo executado a pagar-me 28 mil reais, por danos morais), é o bandido, infame e covarde do Roberto Vaz, ser desprezível que tantas vezes tentou aproximar-se de mim para extorquir e chantagear, todavia sempre teve minha negativa como resposta.
Esse bandido pávido mais uma vez mente ao meu respeito, afirma que eu recebi a absurda quantia de 82 mil reais como pensão.
Estou recorrendo mais uma vez para a devida reparação judicial.
E como disse, não tenho mais impedimento para, após tantos anos de covardia contra mim, dizer um pouco dos fatos mais leves, que a mim chegaram (com registros) de seus feitos.
Que seus prazeres sexuais são confusos e atípicos, como pagar mil reais para um coleguinha satisfazê-lo, quando o parceiro dizia não querer e o sugeria usar vibrador de 30 cm, ele dizia não querer, pois “não era quentinho”; quando a carência está alta com outro jovem “abelhinha “ pagar menos -200,00 para ficar satisfeito, entretanto, o final precisa ser não no estilo “Golden Shower”(nesse caso é mijo na boca com ele de joelhos), ou o final não fica bom.
Roberto Vaz, mofino, canalha e bandido, estou pronto para levá-lo/encontrá-lo nos tribunais.

Tião Viana

Related Posts

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

%d blogueiros gostam disto:
Close Bitnami banner
Bitnami