Secretaria de Educação paga mais de R$ 10 milhões à empresa de informática um dia após a assinatura do contrato

Secretaria de Educação paga mais de R$ 10 milhões à empresa de informática um dia após a assinatura do contrato

Dinheiro é federal e daria para comprar quase dois mil equipamentos ao preço de R$ 5,8 mil

Esta semana, o vice-governador Wherles Rocha (PSDB) vestiu a roupa de líder de oposição fez uma das mais graves denúncias contra o seu próprio governo.

Requentando denúncia feita pelo governador Gladson Cameli (PP) há cerca de um mês e meio sobre um suposto esquema de desvio de dinheiro da merenda escolar, Rocha declarou ter conhecimento de um superfaturamento de até R$ 3 milhões na compra de computadores pela Secretaria de Estado de Educação (SEE).

Esse governo é meio doido. Tanto o governador quanto o vice-governador denunciam a secretaria mais poderosa do Estado, a com mais recursos, mas mantém o gestor no cargo.

Após a postagem de Rocha no Facebook, o Diário Oficial de hoje trouxe várias exonerações na SEE. Tudo peixe pequeno, nunca clara demonstração de que o caldo está saindo mais caro do que o peixe.

Quando trouxe o caso da compra dos computadores, Rocha queria mandar mensagem ao deputado estadual José Bestene (PP), seu desafeto declarado.

A empresa que vendeu os equipamentos é a C. Com Informática Importação, Exportação, Comércio e Indústria Ltda., cujo proprietário é Cristiano Silva Ferreira.

Quando houve a transação, este Portal publicou os procedimentos. Veja aqui.

Cristiano Silva Ferreira é casado com uma das filhas de Bestene.

Talvez por desconhecimento ou guardou para usar em outra oportunidade, o vice-governador não aprofundou a história, que tem capítulos deverás interessantes sobre a compra dos equipamentos, que seriam destinados a garantir a “funcionalidade das unidades escolares e administrativas da SEE”.

No dia 26 de dezembro do ano passado, a SEE assinou o contrato, com a vigência de 12 meses, com a empresa.

A SEE fez a adesão da ata de número 0058/2018, da Secretaria de Estado de Fazenda do Amazonas. O pregão eletrônico foi realizado em dezembro daquele ano.

A Secretaria de Fazenda do Amazonas, embora seja detentora de uma ata de R$ 23,4 milhões, nunca comprou um real.

Ao contrário dos amazonenses a SEE aderiu a R$ 11.730.000,00.

Teoricamente, tudo está dentro da lei. 

Mas há um fato que chama muito a atenção: a forma como foi feito o pagamento.

A SEE, como dito, assinou o contrato no dia 26 de dezembro do ano passado.

No dia 27 foi emitido um pagamento vultoso de R$ 10.263.750,00, que no dia 30 caiu na conta da C. Com Informática.

É muito dinheiro para pagar a uma empresa, no prazo tão rápido. O pagamento, pelo preço ofertado, daria para a administração estadual comprar quase dois mil computadores.

Cada computador saiu ao erário por R$ 5.865,00.

É estranho um governo adquirir tantos equipamentos e não fazer uma festa para anunciar a boa nova.

Os recursos utilizados são do Fundeb, são federais. É bom os órgãos de fiscalização apurarem melhor a situação.

Há indícios fortes de coisas erradas. E onde há fumaça…

EXTRATO DA ATA DE REGISTRO DE PREÇOS Nº 0058/2019-1-SEFAZ; PE1526/18 -CGL (Proc. Nº 014101.107384/2018); OBJETO : Aquisição de Microcomputadores; PARTES : ESTADO DO AMAZONAS e as empresas: C.COM. INFORMATICA IMP. EXP. COM. E INDUSTRIA LTDA, item (ns) 2 no valor total de R$ 23.940.000,00; VIGÊNCIA : 12 Mês (es), a partir da data de publicação deste.

Manaus, 5 de junho de 2019.

Leonildo Rosas

Related Posts

Direção do Deracre comete improbidade administrativa em contrato financiado com recurso da União

Direção do Deracre comete improbidade administrativa em contrato financiado com recurso da União

Sem obras, governo faz nova adesão milionária com a empresa PAS para fazer projetos

Sem obras, governo faz nova adesão milionária com a empresa PAS para fazer projetos

Afastado do Iapen, secretário municipal da Zeladoria está na lista para ser vacinado contra Covid-19

Afastado do Iapen, secretário municipal da Zeladoria está na lista para ser vacinado contra Covid-19

MPF instaura inquérito para acompanhar regularidade das obras do “Hospital de Campanha Covid” feito por primo de Gladson em Cruzeiro do Sul

MPF instaura inquérito para acompanhar regularidade das obras do “Hospital de Campanha Covid” feito por primo de Gladson em Cruzeiro do Sul

3 Comments

  1. Neste momento oportuno desta denúncia, seria importante averiguar a materialidade em loco desses equipamentos, haja visto que se trata de uma quantidade vultuosa e rapidamente detectável para averiguação dos mesmos, pois o que me consta faz tempo que não se ver um computador tão moderno na secretaria de educação do nosso estado. Ainda mais sabendo que a rapidez que esse contrato foi assinado e pago não daria tempo para tão entrega imediata, ainda que corra para adquirir esses equipamentos não dara tempo de entregar nesses tempos de pandemia.

Deixe uma resposta