PSL e DEM: Partido de Alan Rick e Rocha criticam atos que põem em risco à democracia

Nacionalmente, os DEM e o PSL namoram com chances reais de casamento uma fusão.
Esses são os partidos do deputado federal Alan Rick e Wherles Rocha, respectivamente.


Essa dupla estava entre os mais entusiasmados manifestantes no ato golpe-fascista convocado pelo presidente da República, na última terça-feira.


Pois bem, o DEM e PSL emitiram uma nota conjunta em que criticaram o discurso do presidente Jair Bolsonaro durante ato em São Paulo: “Repudiamos com veemência o discurso do senhor presidente da República ao insurgir-se contra as instituições de nosso país”, menciona trecho da nota.


Esse é o primeiro documento conjunto entre os dois partidos, que estão negociando uma possível fusão, visando se posicionar para as eleições presidenciais do ano que vem.


Tanto Rick quanto Rocha se comportam em total dissonância com as determinações partidárias.


Na nota, as legendas reafirmam a necessidade de dar “um basta nas tensões políticas, ódios, conflitos e desentendimentos que colocam em xeque a democracia brasileira”,

O PSL tem, atualmente, 53 parlamentares na Câmara e divide o posto de maior bancada com o PT. Se a união com o DEM, que possui 28 deputados federais, se concretizar, o novo partido assumirá a posição de legenda com maior número de cadeiras na Casa.

A nova sigla, ainda sem nome, também passará a ter mais recursos financeiros e tempo de televisão para as eleições de 2022, havendo, inclusive, a possibilidade de lançar candidatura própria ao Palácio do Planalto.

No PSL já é mencionado até o nome do presidente do Senado, Rodrigo Pacheco (DEM-MG), como uma possível terceira via no pleito presidencial. Pacheco, no entanto, está analisando migrar para o PSD.

Íntegra da nota conjunta de PSL e DEM:


“O PSL e o Democratas entendem que a liberdade é o principal instrumento democrático e não pode ser usada para fins de discórdia, disseminação de ódio, nem ameaças aos pilares da própria Democracia.

Por isso, repudiamos com veemência o discurso do senhor presidente da República ao insurgir-se contra as instituições de nosso país.
Hoje se torna imperativo darmos um basta nas tensões políticas, nos ódios, conflitos e desentendimentos que colocam em xeque a Democracia brasileira e nos impedem de darmos respostas efetivas aos milhões de pais e mães de família angustiados com a inflação dos alimentos, da energia, do gás de cozinha, com o desemprego e a inconstância da renda.
Não existe independência onde ao cidadão não se garantem as condições para uma vida digna. O Brasil real pede respostas enérgicas e imediatas.
Coloquemos as mãos à obra”.

Related Posts

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

%d blogueiros gostam disto:
Close Bitnami banner
Bitnami