Pintura da Arena da Floresta pelo governo Gladson Cameli “despetiza” bandeira do Acre

Por Tácio Júnior

O governador Gladson Cameli, que ainda patina para resolver problemas graves de sua gestão, desde os primeiros dias de governo parece ter o grande mote para sua administração: apagar ou tentar apagar os feitos do Partido dos Trabalhadores.

A estrela vermelha parece ser
proibida pelo governo

Na impossibilidade em honrar sua palavra na redução da violência ou na melhoria do atendimento em saúde, Cameli tem mudado o nome das coisas, como órgãos e até da Expoacre, e apagado qualquer estrela vermelha que ele encontre pela frente.

O primeiro caso que se tem notícia é do helicóptero estatal Harpia 01, popularmente chamado pelos acreanos de Estrelão.

Assim que assumiu o governo, em uma de suas primeiras determinações, como gosta de falar, Gladson Cameli teria mandado arrancar a estrela que estampava a fuselagem da aeronave sob a alegação de que se tratava da estrela do PT.

Ainda que a pintura fizesse, na realidade, alusão à bandeira do Acre. Daí em diante, Cameli, por diversas vezes, deu declarações de que “despetizaria” [neologismo para o ato de expurgar ações ou pessoas petistas] o seu governo, ainda que muitos dos nomeados por ele fossem oriundos da gestão petista e apoiadores de Marcus Alexandre – o então candidato do PT ao governo do Acre.

O mais novo ato de “despetização” no governo Gladson pode ser visto na repintura de uma das obras realizadas pelo próprio Partido dos Trabalhadores, a Arena da Floresta.

Quem visita o estádio ou transita pela Via Chico Mendes pode ver a bandeira acreana estampada nas laterais do prédio. Porém, sem a estrela vermelha.

Os símbolos oficiais, como a bandeira do Estado, são definidos por lei e a alteração deles requer aprovação da Assembleia Legislativa. O que não é o caso neste episódio.

O governo Gladson não informou o custo da pintura do estádio realizada em maio deste ano. Mas a obra foi realizada pela empresa Murano Construções, que foi importada do Distrito Federal.

E enquanto o Acre se afunda em violência, fumaça e um deficiente atendimento na saúde, o governador tem como maior pesadelo o Partido dos Trabalhadores, seus feitos e sua estrela vermelha.

De certo, a menos que o Ministério Público entre em ação, a bandeira do Acre seguirá perdendo sua característica original, que é, inclusive, exaltada no hino composto em 1903 por Francisco Mangabeira e Mozart Donizeti – no trecho que diz: “Fulge um astro na nossa bandeira. Que foi tinto com sangue de heróis. Adoremos na estrela altaneira. O mais belo e o melhor dos faróis”.

Related Posts

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

%d blogueiros gostam disto:
Close Bitnami banner
Bitnami