PEGA NA MENTIRA: Não é verdade que Gladson Cameli deixou de receber salários durante três meses na pandemia

Sem ter o que mostrar, o governo Gladson Cameli (PP) se alimenta de plantar mentiras.

Para bajular o chefe, o ex-comunista Moisés Diniz, que foi alçado à condição de secretário na atual administração, foi às suas redes sociais afirmar que Cameli foi o “único governador do Brasil que ficou três meses sem receber salário durante a pandemia”.

Mentira que não resiste à uma busca rápida ao Portal da Transparência do governo do Estado.

Ao contrário do que é divulgado, Gladson Cameli não deixou de embolsar um mês sequer os mais de R$ 35 mil que faz jus como governador do Acre.

Se fez doações, Cameli não divulgou e não consta que alguma entidade tenha sido beneficiada.

Gladson, como o cargo de governador lhe assegura, não tira dinheiro do bolso para comprar um sabonete.

Tudo é pago pelo contribuinte.

Esse homem que diz não precisar da política, desde os 29 anos vive da política e não consta que tenha aberto mão das benesses que os mandatos lhes proporcionaram.

Veja abaixo que o governador recebeu, religiosamente, todos os meses:

Em abril do ano passado, o governador do Acre declarou que iria abrir mão do próprio salário por três meses para comprar cestas básicas para as famílias carentes do Estado.

A medida seria, segundo ele, para ajudar as pessoas atingidas financeiramente pela pandemia de Covid-19.

Cameli contou a notícia em um vídeo divulgado nas suas redes sociais.

Ele anunciou também que iria orientar os secretários do governo a abrirem mão do salário pelo mesmo período.

“Meus amigos, nessa crise que estamos passando por causa do coronavírus todos precisamos dar o exemplo. Por isso, estou abrindo mão do meu salário pelos próximos três meses para compra de cestas básicas para as pessoas atingidas pela nossa baixa economia”, frisou.

Veja o vídeo abaixo:

Para que não seja cometida nenhuma injustiça, alguém conhece quem recebeu os sacolões comprados com o dinheiro proveniente dos três meses de salário do governador?

Ou se algum secretário seguiu a orientação do governador?

Os únicos sacolões adquiridos pelo governo são os da Secretaria de Estado Educação, que foram adquiridos superfaturados, estão sendo investigados e já levaram várias pessoas à cadeia.

Related Posts

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

%d blogueiros gostam disto:
Close Bitnami banner
Bitnami