Pacientes do hospital em Assis Brasil têm o cemitério como paisagem

Pé na cova
Paisagem mais macabra não poderia haver. Em Assis Brasil, os pacientes do hospital da cidade enxergam pela janela o cemitério. É a típica visão pé na cova. A construção de um muro separando os mortos dos vivos ajudaria bastante. As fotos são de Jardy Lopes.

Desenvoltura de Jenilson
Deputado estadual de segundo mandato, Jenilson Leite se movimenta como quem não pretende concorrer a um terceiro mandato para a Aleac. Dá toda pinta de quem sonha em voos mais altos. Tipo deputado federal ou vice-governador.

Semana quente
A semana começou quente e não foi apenas na meteorologia. É na política. O governo terá que enfrentar os deputados estaduais por conta dos vetos à LDO. O parlamento terá a oportunidade de defender a sua autonomia ou se será apenas uma extensão do Palácio Rio Branco.

E o coronel?
Logo que puser os pés no Acre, Gladson Cameli terá que tomar uma decisão que pode impactar no futuro do seu governo: a manutenção ou não do coronel que chamou os trabalhadores de vagabundos.

Vai ficar
Dificilmente Cameli terá coragem de demitir Jorge Fernando Resende da Saúde. Se o fizer, é grande a chance de ficar sem a sua secretária Mônica Kanaan.

Bem de saúde
Os médicos não foram para o movimento grevista da semana passada. Mantiveram-se distantes da confusão. Há motivo: estão negociando por fora. Foi prometido que podem ter aumento de até 100% nos vencimentos.

Amendoim azedo
Azedou a relação entre o ex-prefeito de Senador Guiomard James Gomes com Gladson Cameli. O motivo do azedume seria o comando do PP no Acre. Gomes é esposo da senadora Mailza Gomes, que substituiu o governador no Senado.

Chapa da contradição
Tem setores defendo a chapa Minoru Kinpara e Ulisses Araújo para concorrer à prefeitura de Rio Branco. É o tipo de aliança marcada pela contradição. Kinpara construiu o nome como reitor da Ufac graças ao aporte financeiro dos governos petistas. Araújo é do PSL, partido do presidente da República que está matando as universidades públicas.

Pedra que muito se muda…
Nada contra a filiação de Minoru Kinpara no PSDB. A democracia permite a livre escolha. Mas não há como deixar de dizer que o ingresso no ninho tucano acaba com o seu discurso de político diferente. O professor, que trocou o PT pela Rede Sustentabilidade para defender a nova politica, vai para o partido de Aécio Neves e cia. Pedra que muito se muda não cria limo jamais.

Direção do Zenil
Representações do Depasa nos municípios passam por seríssimas dificuldades em todos os aspectos. A única exceção é Sena Madureira, onde está a base política do presidente da autarquia, Zenil Chaves.

Aval do compadre
Zenil Chaves está direcionando as ações para Sena Madureira com o aval do seu compadre e padrinho político, o senador Marcio Bittar. Quer se colocar no jogo para disputar a prefeitura e tentar derrotar o prefeito Mazinho Serafim.

Atrito de interesses

Se não tiver combinado, Zenil pode trazer confusão para Gladson Cameli na Aleac. Além de Mazinho Serafim, que é do MDB, o ex-líder do governo Gehlen Diniz (PP) avisou que pretende concorrer à prefeitura.

Assessoria nas redações
O governo Gladson Cameli inovou e montou uma espécie de assessoria dentro das redações, principalmente de TV. Vários jornalistas foram nomeados com CEC alta, não cumprem os horários e continuam atuando nas emissoras fingindo-se de independentes e imparciais.

Related Posts

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

%d blogueiros gostam disto:
Close Bitnami banner
Bitnami