MDB deve desembarcar do governo o Gladson Cameli

Partido pressiona por espaço no governo e na chapa majoritária; Flaviano Melo pode ser vice

Nem bem embarcou, o MDB já prepara as malas para deixar o apoio ao governo Gladson Cameli (Progressistas).

Dirigentes mdebistas se sentem enganados por promessas não cumpridas, mas alegarão que irão alegar que a decisão foi tomada para que o partido busque alternativa rumo à eleição de 2022.

Embora a entrada tenha sido anunciada, o MDB nunca entrou de mala e cuia no governo.

A maioria dos detentores de mandados sempre se manteve distante.

O único que comanda duas secretarias é o senador Márcio Bittar, que indicou os secretários de Desenvolvimento Urbano e Regional e de Produção e Agronegócios.

Os três deputados estaduais, Antônia Sales, Meire Serafim e Roberto Duarte, nunca foram contabilizados como base.

A deputada federal Jéssica Sales, que não esconde a pretensão de concorrer ao Senado, manteve distante do governo e do governador.

Presidente do partido, o deputado federal Flaviano Melo indicou a esposa para cargo, mas nunca demonstrou empolgação com a aliança.

Nesta quarta-feira fria, o governador deverá permanecer ao lado apenas do MDB sem voto.

O MDB oficializou a entrada no governo no dia 5 de maio. O romance não durou muito tempo.

Há quem diga, porém, que se trata de uma pressão do MDB no governador.

Tudo articulado por Marcio Bittar.

Fala-se, inclusive, que o MDB pretende emplacar Flaviano Melo como candidato a vice-governador.

Se você quiser manter esse Portal atuante e afiado, colabore com a sua sobrevivência. A chave Pix é: leonildorosas@gmail.com.

Related Posts

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

%d blogueiros gostam disto:
Close Bitnami banner
Bitnami