Major Rocha diz que Estado pode ter pago até R$ 3 milhões a mais na compra de computadores para a Educação

Vice-governador garante ter pedido abertura de inquérito e afirma que não ficará calado sobre suposto desvio de dinheiro da merenda

Quando o próprio vice-governador vem a público admitir que detectou um superfaturamento de R$ 3 milhões na aquisição de computadores, é porque a situação fugiu do controle.

É claro que o tucano Wherles Rocha não iria falar isso se não tivesse provas robustas.

Na sua postagem no Facebook, Rocha disse que há poucos dias chamou o subsecretário de Educação, Márcio Mourão, para questionar uma compra de computadores, segundo ele, suspeita.

Essa aquisição de 2.000 computadores com o preço aproximadamente de R$ 1,5 mil, por unidade, acima de outra compra realizada pelo governo. Ou seja: três R$ 3 milhões acima do preço.

“Só para esclarecimento, a empresa que ganhou a carona suspeita é ligada a outro deputado estadual. Solicitei a instauração de um inquérito policial para apurar os fatos”.

O outro deputado a quem o vice-governador fala é José Bestene, a empresa supostamente beneficiada é de propriedade do genro do parlamentar.

Quando diz ter solicitado abertura de inquérito, Rocha escamoteia um fato: ele não é mais oposição. É governo e tem poder para agir. Também deveria ter acionado a Polícia Federal, haja vista que provavelmente trata-se de recurso federal.

O vice-governador fez a postagem para criticar o governo sobre o conteúdo de matéria requentada pelo site do seu aliado Roberto Vaz sobre suposto esquema de desvio de recursos da merenda escolar na Secretaria de Estado de Educação.

Há mais de um mês o próprio governador Gladson Cameli se encarregou de tornar o esquema público.

O assunto requentando, na verdade, parece revide contra as ações adotadas por Cameli, que exonerou os aliados do seu vice sem fazer qualquer comunicação.

Sobre o suposto de desvio do dinheiro da merenda, passa da hora de os órgãos de controle, como o Ministério Público, agirem.

A população tem fome de ações mais eficazes, pois, pelas palavras do próprio vice-governador, o pessoal está faminto para usar de forma indevida o dinheiro público.

Veja o texto escrito por Rocha:

“Lamentável, espero que esse absurdo não seja verdade e pode ter certeza que vou passar essa história a limpo. Se for verdade vamos saber quem são os beneficiários desse esquema criminoso? Quem foram os cúmplices? Quem foi conivente?

Não esqueço que há poucos dias atrás chamei o subsecretário de educação para questionar uma compra de computadores pra lá de suspeita. Uma carona para aquisição de 2000 computadores com o preço aproximadamente mil e quinhentos reais (R$ 1.500,00) por unidade acima de outra compra realizada pelo governo, ou seja, três milhões de reais acima do preço, se for considerada a carona anterior. Só para esclarecimento, a empresa que ganhou a carona suspeita é ligada a outro deputado estadual. Solicitei a instauração de um inquérito policial para apurar os fatos.

Voltando ao conteúdo da matéria, caso seja confirmada, não posso deixar de registrar a minha indignação contra quem desvia dinheiro da merenda de crianças. Também sei que nessas horas vão aparecer aqueles que vão condenar o meu posicionamento, como se todos tivéssemos que jogar pra debaixo do tapete esse tipo de lixo. Não contém comigo para isso”.

Related Posts

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

%d blogueiros gostam disto:
Close Bitnami banner
Bitnami