Liminar impede deportações compulsórias e outras medidas contra migrantes no Acre

Liminar impede deportações compulsórias e outras medidas contra migrantes no Acre

Justiça Federal considerou portarias ilegais e suspendeu abusos que vinham sendo cometidos contra estrangeiros em situação vulnerável

Ao julgar ação civil pública ajuizado pelo Ministério Público Federal (MPF) em conjunto com a Denfensoria Pública da União (DPU) e as entidades de Direitos Humanos Conectas e Cáritas, a Justiça Federal concedeu decisão liminar suspendendo medidas da União que promovam deportações, repatriações e outras medidas compulsórias em desfavor de migrantes que buscam acolhida humanitária ou refúgio no Brasil por meio do Estado do Acre.

O Juiz responsável pelo caso adiantou a decisão diante das evidências apresentadas pelos autores da ação e o extremo risco de ilegalidades continuarem sendo cometidas contra essas pessoas sem a possibilidade de reparação. 

Ao analisar o caso, o magistrado reconheceu as ilegalidades das portarias atacadas no processo, e afirmou que a aplicação delas implicaria em graves violações de normas de hierarquia superior. Além disso, também chamou a atenção para a existência de Lei que estabelece que o ingresso irregular no território nacional não constitui impedimento para o estrangeiro solicitar refúgio às autoridades competentes.

A decisão liminar determina, ainda, que a União continue adotando normalmente os protocolos relacionados à pandemia de coronavírus.

Agora, a Justiça irá determinar data para a realização de audiência de conciliação entre as partes para a continuidade do julgamento do mérito do caso.

Leonildo Rosas

Related Posts

Procurador Sammy Barbosa envia recomendação para que governo evite reprimir manifestação democrática marcada para sábado

Procurador Sammy Barbosa envia recomendação para que governo evite reprimir manifestação democrática marcada para sábado

MPF pede que Justiça determine prazo para efetivação da regularização fundiária da Gleba Novo Destino, em Manoel Urbano

MPF pede que Justiça determine prazo para efetivação da regularização fundiária da Gleba Novo Destino, em Manoel Urbano

MPF e MPAC querem responsabilização de Bolsonaro e autoridades federais por crimes contra a saúde pública durante inauguração de ponte sobre o Rio Madeira

MPF e MPAC querem responsabilização de Bolsonaro e autoridades federais por crimes contra a saúde pública durante inauguração de ponte sobre o Rio Madeira

MPF recomenda que Iapen aprimore o cadastro de indígenas em presídios no Acre

MPF recomenda que Iapen aprimore o cadastro de indígenas em presídios no Acre

No Comment

Deixe uma resposta