Isolado por aliados, Gladson pode encontrar salvação do governo na oposição

Vejo Márcio Bittar, Wherles Rocha, Mara Rocha, Minoru Kinpara e Roberto Duarte, para não citar outros, dizerem que irão apoiar Tião Bocalom no segundo turno.

Como argumento principal, alegam que o farão porque detestam a esquerda.

Ai eu pergunto: desde quando Socorro Neri e Gladson Cameli são esquerda?

Essa turma não cansa de ser ridícula.

Por que não revelam quais são os seus reais interesses?

Todos sabem que essa dupla, aliada com o deputado federal Alan Rick, fez questão enxotar os partidos de esquerda da aliança.

Quem não lembra o que fizeram com o PC do B?

Então essa história de odiar a esquerda não procede.

Eles irão apoiar Bocalom por puro oportunismo.

Por ser um caminho mais curto.

Na verdade, o homem da vaca mecânica nem precisa do apoio dessa turma.

A vitória do protegido do senador Sérgio Petecão é dada como certa no próximo dia 29.

A prefeita se isolou e perdeu força.

Vai amargar a viagem de balsa a Manacapuru, o que é bem feito para quem agiu como ela agiu com os antigos aliados.

Mas voltando aos que dizem odiar a esquerda.

Essa turma está de olho, num primeiro momento, nas beirinhas dos cargos na administração municipal.

Só digo o seguinte: a prefeitura é pequena demais para tanta gula.

Ela está bem equilibrada porque tanto Raimundo Angelim quanto Marcus Alexandre cuidaram bem da gestão.

É preciso fazer justiça: a prefeita Socorro Neri também é uma boa e honesta gestora.

A prefeitura não suporta exagero e má gestão.

Num segundo momento, enxergam em Sérgio Petecão um candidato forte à sucessão de Gladson Cameli.

O que é uma verdade.

Eles querem Gladson Cameli fragilizado para poderem sugar ainda mais o governo.

Todos, sem exceção, têm generosos espaços na estrutura governamental.

Mesmo assim, estão indo contra o governador.

Penso que Gladson Cameli, se quiser permanecer vivo politicamente até 2022, precisa tomar as rédeas do governo.

Necessita ser menos meninos e passar a ser governador.

Urge que cumpra a palavra.

É fundamental que adote medidas firmes e dê novo rumo ao seu governo.

Uma dessas medidas seria, imediatamente, demitir todos os ocupantes de cargos indicados pelos seus supostos aliados.

Numa canetada só, deveria demitir a turma de Sérgio Petecão, Marcio Bittar, Wherles Rocha e companhia.

Ele tem que mostrar quem é que manda no governo, se não será atropelado.

Quando decidiu apoiar Socorro Neri, Gladson Cameli o fez porque não confiava na turma que lhe apoiou em 2018.

Não estava errado.

Se quiser livrar o seu governo do fracasso, o governador terá, necessariamente, que construir novas alianças.

Eu, no lugar dele, abriria diálogo com lideranças como o ex-governador Jorge Viana e até o seu adversário ao governo, o ex-prefeito Marcus Alexandre.

Seria uma alternativa.

Afinal, em politica não tem amigo que não possa virá inimigo, nem inimigo que não possa se tornar amigo.

Quem sabe, a salvação do governo Gladson Cameli não pode estar na oposição?

Os aliados já demonstraram que estão mais para adversários.

Related Posts

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

%d blogueiros gostam disto:
Close Bitnami banner
Bitnami