Gladson Cameli encontrou a fórmula mágica para diminuir o desemprego: criou centenas de cargos na máquina do governo

Enquanto não abre o Acre para o desenvolvimento, o governador Gladson Cameli vai dando o jeitinho de pendurar mais gente na folha de pagamento do Estado.

Tudo para cumprir acordos e amansar deputados.

O Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística (IBGE) apresentou o Acre como o 3º estado que mais perdeu postos de trabalho no 1º trimestre de 2019, chegando a taxa de 18%.

O aumento do desemprego não surpreende.

A economia do Estado está travada. O governo, que é o principal impulsionador, não consegue se mover. Patina e se afunda nos próprios erros.

É um governo dentro de uma areia movediça, procurando um galho para se segurar.

E não é por falta de dinheiro que não se move.

Tem um R$ 1,3 bilhão em caixa, mas não consegue executar, graças à ineficiência e à incompetência para elaborar um projeto.

Mas, para os seus, o governador Gladson Cameli encontrou uma forma para reduzir o desemprego.

Encaminhou projeto de lei à Assembleia Legislativa criando um gigantesco trem da alegria.

É o fim do discurso fácil.

Ele passou os meses de dezembro, janeiro, fevereiro, março e abril falando de uma suposta crise financeira.

Declarou que cortou cargos e privilégios.

Tudo para inglês ver.

Agora, para diminuir o desemprego, cria cargos, muitos cargos.

São 450 CEC’s, 10 secretarias adjuntas e outras várias funções gratificadas.

Essa brincadeira traz uma despesa superior a R$ 15 milhões por ano.

O pior é que a criação de tantos cargos é apenas para tentar aplacar a sanha de deputados e aliados insatisfeitos.

Mas ainda haverá muita gente reclamando.

Alçado à condição de líder do governo, o deputado José Luiz Tchê chegou a declarar, sem pudor, que não se governa apenas com 900 CEC’s.

Do jeito que vai, não se governará nem com zilhões de CEC’s.

O governador é fraco. Sem palavra, pois falou diversas vezes que iria extinguir cargos comissionados.

O povo está conhecendo a verdadeira face do rapaz Cameli. E não está gostando do que vê.

O fato é que vai ficar difícil Cameli voltar a falar em crise e na possibilidade de decretar calamidade financeira.

A corrida para garantir as próximas nomeações já começou.

Related Posts

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

%d blogueiros gostam disto:
Close Bitnami banner
Bitnami