Gladson Cameli e Rocha lideram a oposição ao governo do Estado

A dupla é imbatível.

Os maiores oposicionistas do governo são o próprio governador e o seu vice.

Todas as crises provocadas foram causadas por Gladson Cameli e Wherles Rocha.

São opositores de si mesmo.

Cameli abriu fissura grande quando, sem explicação aparente, lançou o nome do seu vice a prefeito de Rio Branco.

O efeito não poderia ser mais devastador.

Tem muita gente na base aliada sonhando com isso.

Rocha é um elefante dentro de uma loja de cristais. Demonstrou ser inapto para comandar a pasta que lhe foi entregue: a Segurança Pública.

Cameli é fraco e sem firmeza na palavra.

Rocha quer ser mais forte do que o governo e não se recolhe ao papel de vice.

Uma relação como essa não pode dar certo.

A oposição liderada pelo governador e o seu vice explica a imagem no fundo do plenário da Assembleia Legislativa, na sessão de ontem.

Os deputados Gehlen Diniz, Wendy Lima, Chico Viga e Neném Almeida ostentavam os óculos escuros.

Um protesto silencioso, mas simbólico.

Queriam mandar mensagem subliminar ao governador Gladson Cameli da insatisfação do quarteto nada fantástico com os rumos tomados pelo governo do Estado.

O que se vê na Assembleia Legislativa é um governo desarticulado, sem base parlamentar e que terá que encostar a barriga no balcão, caso queira garantir a governabilidade.

Os quatro homens de óculos são, em tese, da base do governo. Mas é só em tese.

Os deputados perceberam que o governador é fraco, que só funciona na pressão, que cede sempre que se vê pressionado.

Perceberam que o vice-governador tem ambições que vão além da prefeitura, que é um tucano com sonho de voos altos.

Com uma oposição bem articulada, tendo os deputados Edvaldo Magalhães e Daniel Zen habilidade para conduzir os processos legislativos, o governo tem tido dores de cabeça provocadas pela sua própria base.

Cameli até tenta, mas não consegue uma articulação com os deputados.

Trocou o líder.

Tirou Gehlen Diniz e pôs José Luiz Tchê.

O problema é que os demais parlamentares sabem como Tchê opera e irão querer dividir o bolo.

Perdido, o governador pretende encaminhar uma reforma para aprovação no Parlamento.

Terá sérios problemas para aprovar o que pretende.

Sem o devido espírito do republicanismo, os aliados não votarão apenas pelos belos olhos do governador ou pelo sotaque gaúcho do líder Tchê.

Têm e irão querer mais cargos.

Os que têm empresas exigirão negócios com o Estado.

Gladson Cameli é formado em engenharia.

A única obra em que aparece como responsável é um pedaço da BR-364. É um dos piores trechos até hoje.

O engenheiro Cameli está vendo a sua base política desmoronar.

Cameli e Rocha continuam demonstrando ser bons opositores.

Precisam lembrar que agora são governo.

Related Posts

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

%d blogueiros gostam disto:
Close Bitnami banner
Bitnami