Funcionária do PSL denuncia possível abuso sexual na sede do partido

O processo corre em segredo, para proteger a suposta vítima.

Uma funcionária do Diretório do PSL em Rio Branco procurou a delegacia especializada para denunciar possível abuso sexual e roubo dentro da sede do partido.

No Boletim de Ocorrência, a moça relata que estava com dor de cabeça, quando um colega lhe ofereceu um medicamento, sem que a mesma tivesse solicitado.

Ao tomar o remédio, o colega teria perguntado se ela tomava tudo que lhe era oferecido, o que respondeu negativamente.

Após tomar o remédio, segundo ela, passou a ter uma sensação de sonolência e, na sequência, não se lembra mais de nada.

Ela tomou a medicação às 11 horas.

Por volta das 17 horas, acordou no seu apartamento desesperada, porque não sabia o que tinha ocorrido.

Ao procurar o seu telefone celular na bolsa, a moça descobriu que o seu aparelho e o seu dinheiro tinham sumido.

Sem celular e sem dinheiro, a funcionária foi à casa de um amigo, que lhe levou à sede do PSL para procurar os seus pertences, não logrando êxito.

Ato contínuo foi ao Pronto Socorro tomar medicamento, pois estava se sentindo “grogue”.

A moça relatou à policia que sentiu ardência ao urinar e, ao tomar banho, percebeu um leve sangramento, o que a levou a procurar a delegacia a fim de pedir investigação.

O PSL é o mesmo partido do presidente da República, Jair Bolsonaro.

A maioria dos seus dirigentes estava domingo em frente do Palácio Rio Branco defendendo o presidente e proclamando as virtudes conservadoras na sociedade.

O possível estupro da funcionária foi mantido em sigilo e protegido pelo silêncio dos líderes partidários.

Mas a polícia está investigando e não será difícil chegar à autoria do crime.

Related Posts

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

%d blogueiros gostam disto:
Close Bitnami banner
Bitnami