Fonte revela como a Murano chegou ao Acre; empresa já tem R$ 27 milhões em obras sem licitação

Descumprir a palavra na política e nos negócios quase sempre é sinônimo de dor de cabeça.

Sempre há muitos interesses e expectativas envolvidas, o que leva a racionalidade para o espaço.

O atual governador tem conseguido jogar a sua palavra e os seus compromissos para a vala do descrédito com muita facilidade.

Semana passada, o editor deste Portal recebeu um telefonema interessante de uma fonte que reside em Brasília.

Leitora assídua do Portal, a fonte ficou chateada ao saber que, na sua opinião, estão querendo lhe aplicar uma rasteira.

Essa fonte garante que foi ela quem apresentou ao governo uma ata de registro de preço que poderia servir de guarda-chuva para obras do governo do Estado.

Esta ata é de um pregão realizado no campus do Instituto Federal Goiano, em Ceres (GO).

A empresa vencedora foi a Murano Construções.

A ata tem valor superior a R$ 55 milhões.

“Eles estavam em Brasília atrás de alguma coisa para fugir do processo de licitação. Eu apresentei para o 01, um assessor seu e um advogado ligado ao Deracre”, revela a fonte.

Mostrando-se disposta a revelar todo o processo, a fonte adiantou que o próximo passo da empresa e do governo será ampliar a ata para a área de Saúde.

“O valor é alto. Primeiro teve a adesão para mais de R$ 24 milhões pela Secretaria de Infraestrutura. A ideia é a fazer a adesão de um valor semelhante para os serviços na Secretaria de Saúde”.

A fonte não sabia que a Secretaria de Justiça e Segurança Pública aderiu mais de R$ 3 milhões da mesma ata.

“Não escondi nenhuma das informações: nome endereço contatos, etc. Porque, até aquele momento, fazia na confiança que se progredisse seria informado. Acredito em boas parcerias”, lamentou.

Ao tempo que revela-se chateada, a fonte garante que nada lhe seria pago diretamente pelo governo, mas teria um contrato com a Murano.

“Contrato de parceria formal. Comum em negócios. Acho que a Murano procura economia na minha conta”, lamenta.

A fonte finalizou o contato com a seguinte frase: “Parece que me tiraram e vieram direto. A empresa, claramente, precisando de contrato aceitou o silêncio Quem não quer um oresente em maio de 27 milhões?”.

A empresa Murano está se instalando em Rio Branco, onde alugou um imóvel em um dos melhores bairros da cidade.

Related Posts

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

%d blogueiros gostam disto:
Close Bitnami banner
Bitnami