Falta até luva de procedimento no Pronto-Socorro de Rio Branco; secretária Mônica Kanaan está viajando


O Portal do Rosas teve acesso a documento da farmácia do Pronto-Socorro de Rio Branco, que revela a falta de gestão e de compromisso da administração Gladson Cameli com a saúde pública.


O documento demonstra que faltam equipamentos básicos para os profissionais atuarem, como luva de procedimento e estéril, cujo estoque está zerado.


Na maior unidade de urgência e emergência do Acre faltam sondas e as lâminas de bisturi estão com o estoque crítico.


Como se tudo estivesse transcorrendo dentro da normalidade, o governador vai para duas semanas distante do Acre, vendendo a ideia de que seremos o novo paraíso dos investimentos do chineses.


Para não fugir à regra do chefe que adora viver dentro de um avião, a secretária de Estado de Saúde, Mônica Kanaan, também viajou para Brasília, cidade onde tem família e frequenta mensalmente.


Kanaan viajou na sexta-feira passada, com previsão de retorna somente na próxima semana.

Oficialmente, foi participar, segundo fonte, de reunião do Conselho Nacional de Saúde, que acontece nos dias 30 e 31.


Essas frequentes viagens da secretária param a máquina. Por determinação dela, os chefes das unidades estão impedidos de encaminhar solicitações aos diretores. Tudo tem que ser encaminhado ao seu gabinete.


Os secretários adjuntos não tomam decisões porque tudo está centralizado na figura de Kanaan.


“Ela resolveu centralizar tudo. Há uma estrutura com diretores ganhando R$ 16 mil, mas que só podem agir quando a secretária dá o comando. Assim fica impossível trabalhar”, comentou um chefe de unidade que pediu o anonimato com medo de represália.


Para justificar a centralização, a assessora de Gladson Cameli teria dito que muita coisa acontecia dentro da secretaria como a formação de complô para impedir o andamento dos procedimentos.


Segundo a fonte, o que funciona dentro da secretaria são os pedidos para acomodação política. “Tem médico sem contrato passando visita nas enfermarias com Pronto-Socorro com alunos das faculdades. Tudo com o aval da direção”, denuncia.


As denúncias são graves e merecem o acompanhamento do Ministério Público Estadual.

Um desses casos é que até médicos sem CRM estão passando visitas com a conivência da direção do Pronto-Socorro.


“Tem ambulância destinada ao transporte de pacientes do PS para a realização de exames, como cateterismo e ressonância, indo deixar pacientes em Porto Velho”, relata.


Enquanto várias irregularidades acontecem, diz a fonte, a secretária não sabe de nada, pois viaja muito e não consegue saber nem a metade do que realmente ocorre.


Recentemente, houve uma reunião dos diretores das unidades de todos o Estado com os coronéis da Saúde.

Quando os representantes do interior se manifestaram, os militares disseram que não queriam reclamações, porque os problemas estavam relatados em documentos.


“Eles ficaram bravos quando os diretores começaram a relatar os desafios e problemas. Cortavam todas as falas. Essa turma não tem competência e muito menos humildade para aprender”, lamenta.

Related Posts

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

%d blogueiros gostam disto:
Close Bitnami banner
Bitnami