Estado do Acre manteve a nota B junto à Secretaria do Tesouro Nacional; Cameli terá que ajustar para não cair para nota C

Por Leonildo Rosas

Boletim publicado pela Secretaria do Tesouro Nacional (STN), nesta quarta-feira, desmonta o discurso de terra arrasada espalhado pela equipe econômica do governo e pelo próprio governador Gladson Cameli.

Segundo a publicação da STN, o Acre manteve a nota B, no ano de 2018, o que lhe assegura saúde financeira, inclusive, para contrair novos empréstimos.

O boletim traça uma radiografia detalhada das finanças estaduais e municipais.

De acordo com o documento, com o aumento das despesas com folha de pagamento de ativos e inativos, 12 estados descumpriram o limite de gastos com pessoal estabelecidos na lei, no ano passado.

“Tal crescimento é indício do problema da insustentabilidade dos regimes de previdência estaduais, tendo em vista o consumo cada vez maior de recursos financeiros, que poderiam estar sendo direcionados para atender e ampliar os serviços básicos exigidos pela sociedade”, destaca o relatório.

Embora esteja “saudável”, o Acre, segundo o documento, corre o risco de cair para a classificação C, já que relação entre Despesa Corrente e Receitas Correntes se encontra bem próxima da margem de 95%.

Está junto com Pará, Paraíba, Piauí, Paraná e São Paulo.

“Para esses Estados, faz-se necessário esforço maior em aumentar a receita e cortar gastos”, diz o documento.

A STN, desde 2016, publica anualmente o Boletim de Finanças dos Entes Subnacionais com o objetivo de aumentar a transparência e de fomentar discussões acerca das finanças dos Estados e Municípios.

Veja o documento na íntegra https://cdn.tesouro.gov.br/sistemas-internos/apex/producao/sistemas/thot/arquivos/publicacoes/30407_981194/Boletim%20de%20Finanças%20dos%20Entes%20Subnacionais_2019.pdf?v=7066

Related Posts

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

%d blogueiros gostam disto:
Close Bitnami banner
Bitnami