Em Cruzeiro do Sul o apoio a educação sai do discurso e cai na conta dos professores

Por Aarão Prado*

Educação é prioridade… Educação é o único caminho… É preciso valorizar os professores… Como é lindo ser professor… E por aí vai! Quantas vezes já viu frases assim na boca de políticos e gestores? Imagino que muitas, né!?

Agora, quantas vezes ouviu frases assim: “Vamos pagar, a partir de agora, o melhor salário para nossos professores entre todos os municípios do estado… Daremos um abono de mil reais em cima do salário… Daremos um outro abono de mil reais.”

Confesso que, poucas vezes, vi algo realmente concreto quando assunto é valorizar os trabalhadores da Educação.

Talvez por isso esteja tão impactado, de forma positiva, ao saber que o prefeito de Cruzeiro do Sul, Zequinha Lima, anunciou o segundo abono salarial para os professores, em pouco mais de nove meses de gestão!

Cruzeiro do Sul mostra na prática que acredita na educação de qualidade como caminho para transformar a vida dos que mais precisam.

Um exemplo de que, apesar dos tempos difíceis, onde os orçamentos municipais praticamente não fecham a folha de pagamento, a gestão, somada a decisão política e ao planejamento, ainda faz toda a diferença.

Prometer é algo comum na prática política, já o fazer é para poucos. E, na maioria das vezes, nem é por falta de vontade, mas por falta de capacidade administrativa. Afinal, o parco recurso que chega para um pequeno município do norte, por exemplo, não é tarefa simples de se administrar.

E quando isso acontece de forma a beneficiar uma classe tão sacrificada como os professores, é digno de admiração e registro.

Zequinha Lima e seu vice Henrique Afonso são professores.

Aliás, é a primeira vez que dois professores administram Cruzeiro do Sul. E, apesar de estarem apenas no começo do mandato, já entram para história como a gestão que valorizou os professores de uma maneira muito especial.

No Dia dos Professores,15, a prefeitura de Cruzeiro do Sul – que já havia concedido por meio de recursos do Fundo Nacional de Desenvolvimento da Educação (Fundeb), abono de mil reais aos professores – anunciou um novo abono, também no valor de mil reais.

Mais do que arrancar aplausos de um “lotado” Teatro do Náuas, a notícia dada pelo prefeito Zequinha Lima escreve um capítulo na história da relação da gestão municipal com os trabalhadores da educação.

A “Capital do Juruá” passou de município que pior pagava seus professores no Acre para o maior salário de todo o estado, superando até a rede estadual de ensino. E isso não é discurso, é fato. Tá na conta!

Nós, que escrevemos sobre política, muitas vezes costumamos digitar promessas, ou mesmo discursos vazios.

Mas, quando podemos falar de algo realmente prático e relevante temos que aproveitar à oportunidade.

Não pretendo com esse texto fazer defesa ou mesmo promover a imagem de ninguém, tenho apenas a vontade de expressar minha satisfação ao ver algo concreto acontecendo, caindo na conta dos professores. Por isso, parabenizo toda a gestão municipal em Cruzeiro do Sul – cidade que “escolhi” viver – por colocar a educação como prioridade não apenas no discurso.

*Aarão Prado é jornalista e reside em Cruzeiro do Sul há nove meses

Related Posts

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

%d blogueiros gostam disto:
Close Bitnami banner
Bitnami