Discurso sobre garantia e emprego de servidores do Pró-Saúde é falácia, diz Edvaldo Magalhães

Discurso sobre garantia e emprego de servidores do Pró-Saúde é falácia, diz Edvaldo Magalhães

“Toda a discussão, toda a falácia, todo o debate que aqui foi travado dizendo que o Instituto era o instrumento de garantia das carreiras, do contrato, e do trabalho, pode cair por terra se essa casa não manter esse parágrafo único”

A frase que abre o texto é do deputado estadual Edvaldo Magalhães (PC do B). Ele fala sobre o veto governamental à emenda que garante a permanência dos servidores do Pró-Saúde nos municípios onde o récem criado Instituto de Gestão em Saúde do Acre (Igesac) não terá contrato ativo.

Segundo o parlamentar, o o veto do governador Gladson Cameli desmistifica o discurso da base governista que afirmava que a aprovação do PL era para salvar os trabalhadores do Pró-Saúde.

“Agora vem o veto, e vai ser na discussão e apreciação deste veto é que nós vamos tirar a prova dos nove. , disse o parlamentar.

Edvaldo Magalhães votou contrário à criação do instituto por entender que o projeto não resguardava o direito dos trabalhadores do Pró-Saúde, como a garantia dos empregos.

“Nós dissemos que a prioridade da criação do Instituto não era a garantia dos servidores, mas o negócio da Saúde”.

Nas contas dos deputado, mais de 550 servidores do Pró-Saúde serão prejudicados com o veto governamental. Todos esses trabalhadores estão lotados atualmente nos municípios.

O governador pode sofrer uma derrota e ter o seu veto derrubado. Deputados da base aliada, como Chico Viga, demonstraram descontentamento com a decisão do governador.

O assunto, como tem apelo, vai gerar muitos debates no Legislativo.

Veja o discurso de Magalhães:

Leonildo Rosas

Related Posts

PT, PSB, PCdoB, PSOL e PV fazem reunião para iniciar diálogo rumo  às eleições de 2022

PT, PSB, PCdoB, PSOL e PV fazem reunião para iniciar diálogo rumo às eleições de 2022

Sindicalistas da Saúde empossam palhaço Peteleco como governo e o levam para a mesa de negociação com o governo

Sindicalistas da Saúde empossam palhaço Peteleco como governo e o levam para a mesa de negociação com o governo

Falta de palavra do governador é empecilho para acordo com servidores da Saúde e da Educação

Falta de palavra do governador é empecilho para acordo com servidores da Saúde e da Educação

Edvaldo Magalhães volta a cobrar rapidez do governo na sanção de lei que visa contratação de médicos formados no exterior

Edvaldo Magalhães volta a cobrar rapidez do governo na sanção de lei que visa contratação de médicos formados no exterior

No Comment

Deixe uma resposta