Deu no Estadão: Mara Rocha e Flaviano Melo estão entre os 30 parlamentares beneficiados com emendas do “Tratoraço”

Pelo menos 30 parlamentares destinaram verbas públicas para compras de tratores e máquinas agrícolas sob suspeita de superfaturamento. Os nomes dos deputados e senadores por trás das emendas do “tratoraço” vinham sendo mantidos em sigilo graças a um acordo do Executivo com lideranças do Congresso para viabilizar o orçamento secreto e construir uma base de apoio parlamentar ao governo Jair Bolsonaro.

Os deputados acreanas Mara Rocha (PL) e Flaviano Melo (MDB) são citados como beneficiários do esquema.

Uma investigação do Estadão, com base em planilha interna do Ministério do Desenvolvimento Regional e um relatório da Controladoria-Geral da União (CGU), rastreou, porém, os nomes de políticos que enviaram verbas federais para compras sob suspeita de sobrepreço. No grupo de 30 parlamentares identificados estão o líder do PSL na Câmara, deputado Vitor Hugo (GO); o senador Davi Alcolumbre (DEM-AP), ex-presidente do Congresso; e o relator-geral do Orçamento de 2020, deputado Domingos Neto (PSD-CE). 

A planilha do Desenvolvimento Regional, obtida pela reportagem, mostra que todos solicitaram repasses para prefeituras, aprovados em dezembro passado, com recursos de emendas do relator-geral, artifício do orçamento secreto. Resultado: o ministério celebrou 74 convênios classificados pela CGU, em relatório de auditoria recentemente divulgado, como tendo “risco alto ou extremo” de sobrepreço

Estadão chegou à lista dos 30 nomes cruzando dados da planilha e do relatório. A autoria continua sigilosa até para órgãos de controle e fiscalização. A não ser que haja um vazamento de informação, a sociedade não tem como saber quem impôs ao governo uma determinada compra com recursos do orçamento secreto. O anonimato garante que parlamentares não sejam associados a eventuais casos de corrupção no uso dessas verbas. 

Os valores a mais identificados nos convênios ligados a esses políticos passam de R$ 6 milhões. Trata-se, porém, de apenas um pedaço dos R$ 142 milhões em sobrepreços identificados pela CGU em licitações e convênios do Desenvolvimento Regional, com recursos do orçamento secreto.

O relatório da CGU foi feito após o Estadão revelar, em maio, que o ministério comandado por Rogério Marinho foi o destino de R$ 3 bilhões em emendas de relator-geral e parte desse dinheiro foi para dezenas de convênios com indícios de irregularidades. Com base no relatório, a CGU notificou prefeituras apontando “suspeita de superfaturamento” nesses convênios para compra de maquinários.

Veja quem são os 30 parlamentares:

  • Bozzella (PSL-SP)
  • Bosco Saraiva (Solidariedade-AM)
  • Darci de Matos (PSD-SC)
  • Davi Alcolumbre (DEM-AP)
  • Delegado Antônio Furtado (PSL-RJ)
  • Delegado Waldir (PSL-GO)
  • Domingos Neto (PSD-CE)
  • Edna Henrique (PSDB-PB)
  • Eduardo Costa (PTB-PA)
  • Expedito Netto (PSD-RO)
  • Fabio Schiochet (PSL-SC)
  • Felicio Laterça (PSL-RJ)
  • Flaviano Melo (MDB-AC)
  • Francisco Jr. (PSD-GO)
  • Giovani Cherini (PL-RS)
  • Juarez Costa (MDB-MT)
  • Lucas Redecker (PSDB-RS)
  • Leo Moraes (PODEMOS-RO)
  • Luciano Ducci (PSB-PR)
  • Lúcio Mosquini (MDB-RO)
  • Luiz Carlos (PSDB-AP)
  • Mara Rocha (PSDB-AC)
  • Marlon Santos (PDT-RS)
  • Maurício Dziedricki (PTB-RS)
  • Ottaci Nascimento (Solidariedade-RR)
  • Sargento Fahur (PSD-PR)
  • Soraya Manato (PSL-ES)
  • Vitor Hugo (PSL-GO)
  • Zé Silva (Solidariedade-MG)
  • Zequinha Marinho (PSC-PA)

A deputada Mara Rocha (PSDB-AC) afirmou que apenas conseguiu R$ 275 mil para a compra de máquinas pelo município de Capixaba e acredita que o valor não é suficiente para as aquisições que a prefeitura cadastrou.

Flaviano Melo não se pronunciou.

Veja a matéria completa aqui.

Related Posts

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

%d blogueiros gostam disto:
Close Bitnami banner
Bitnami