Continuo sendo contra o reinício das aulas presenciais

Continuo sendo contra o reinício das aulas presenciais

ESTÃO QUERENDO ENGANAR A QUEM?

Por Wilson Guimarães*

O governo quer voltar às aulas presenciais em 8 de setembro, dizendo que seguirá os protocolos de segurança.

Não acreditem nisso, pois as escolas não têm as mínimas condições para aplicar nada seguro para alunos e equipe escolar.


Vejamos:


1- Na ida para a aula, os alunos irão de carro ou a grande maioria vai a pé ou de ônibus?


2- Na entrada haverá aglomeração, por mais que seja pequena, mas haverá.


3- O grupo de risco que trabalha na escola (professores e apoio) será substituído por quem se até hoje faltam professores para diversos componentes curriculares?


4- Os banheiros não tem a menor condição de se aplicar as medidas de segurança, pois são pequenos, de grande circulação de alunos, etc.


5- Na sala de aula pode haver apenas 1 aluno por dia, mas o professor e o funcionário são os mesmos todos os dias. Isso quer dizer que se um aluno tiver com Covid-19 ele transmitirá para o professor que transmitirá para os outros alunos. Ou seja: em um mês todos terão pego o vírus e passado para suas famílias, vizinhos, etc.


6- Duvido que os alunos aguentem ficar mais de 2 horas com as máscaras. Se duvidar, eles ficarão até trocando de máscaras entre si.


7- Se o governo não ofereceu máscaras, álcool em gel e luvas para irmos distribuir os sacolões, duvido que o governo doe um kit aos professores e funcionários.


8- Como o aluno vai beber água se os bebedouros são coletivos?

Poderia fazer 500 questionamentos, mas vou fazer uma pergunta que considero fundamental:

Vale a pena arriscar a vida ganhando a miséria que a Educação ganha?


O apoio está com um piso no salário mínimo e o professor, coitado, nao chega a dois salários líquidos o provisório.

Nos respeitem, é o meu desejo.

*Wilson Guimarães é professor de História e Especialista em Gestão Escolar

Leonildo Rosas

Related Posts

A MENTIRA COMO MÉTODO DE (DES)CONSTRUÇÃO POLÍTICA

A MENTIRA COMO MÉTODO DE (DES)CONSTRUÇÃO POLÍTICA

A frágil “capacidade executiva” é hoje o maior problema do governo Gladson

A frágil “capacidade executiva” é hoje o maior problema do governo Gladson

Jorge em meio à cegueira

Jorge em meio à cegueira

A educação do Acre pede mais respeito

A educação do Acre pede mais respeito

No Comment

Deixe uma resposta