Butantan acompanha estarrecido novas agressões de Bolsonaro contra a China, que poderão zerar estoques de vacina

Instituto Butantan, que depende dos insumos chineses para produzir a Coronavac, acompanhou estarrecido o mais novo ataque gratuito de Jair Bolsonaro, ao insinuar que a China fez “guerra química” com o coronavírus.

247 – O instituto Butantan, que depende dos insumos chineses para produzir a vacina Coronavac, acompanhou estarrecido o mais novo ataque de Jair Bolsonaro, que insinuou que a China teria promovido uma “guerra química” com o coronavírus. 

Segundo reportagem do jornal Estado de S.Paulo, o instituto, produtor da Coronavac, tem a expectativa de receber dos chineses até o dia 15 de maio insumos para mais doses. O Butantan entregará lotes da vacina nesta quinta (6) e na próxima semana, mas não há mais IFA para a sequência da produção em larga escala. Em privado, dirigentes do instituto dizem que declarações desastradas respingam na difícil negociação pelos insumos.

O Butantan solicitou 6 mil litros de IFA aos chineses, mas não há confirmação nem de datas de entrega nem de quantidade. Após a fala de Bolsonaro, agora o quadro é muito mais complexo.

Veja mais no Brasil 247

Related Posts

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

%d blogueiros gostam disto:
Close Bitnami banner
Bitnami