Bolsonaro exonera esposa de Flaviano Melo do comando da Secretaria do Patrimônio da União

Disposto a tudo para eleger o deputado alagoano Arthur Lira (PP) à presidência da Câmara dos Deputados, o presidente Jair Bolsonaro vem carregando na pressão sobre os parlamentares que têm indicados ocupando cargos no governo federal.

Na reta final da campanha o governo federal deu início a retaliações e retirou cargos de deputados aliados a Baleia Rossi (MDB-SP), candidato com discurso de independência do Planalto.

A ideia, segundo reportagem do jornal O Globo, é pressionar para que parlamentares votem em Arthur Lira (PP-AL), aliado Bolsonaro.

Deputados relataram terem sido informados que indicados seus em postos na administração federal foram exonerados nos últimos dias.

Um desses deputados seria o experiente parlamentar acreano Flaviano Melo (MDB), perdeu dois indicados no estado que mantinha desde o governo Temer.

Por não apoiar a eleição de Lira, Flaviano viu no Diário Oficial as exoneracões de Jorge Mardini Sobrinho, superintendente do Iphan, e de Luciana Videl de Moura, da Secretaria de Patrimônio da União (SPU).

Luciana é esposa do deputado.

“São da época do Temer. Ninguém mexeu neles e eles ficaram lá. Nem perguntei o motivo, porque eu sou do MDB e o MDB da Câmara não é da base do Bolsonaro, mas também não ia mandar (os indicados) saírem. Me disseram só que foi ordem do Palácio”, disse Flaviano.

Veja a matéria aqui.

Related Posts

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

%d blogueiros gostam disto:
Close Bitnami banner
Bitnami