Afastado do Iapen, secretário municipal da Zeladoria está na lista para ser vacinado contra Covid-19

Agentes de segurança que estão na linha de frente começam a ser vacinados nesta quarta-feira.

É bom, porém, os órgãos de controle ficarem atentos para não haver fura-fila ou distorção.

Uma dessas distorções está clara na relação enviada pelo Instituto de Administração Penitenciária (Iapen).

Dentre os policiais penais que supostamente estão apto a ser vacinados está o nome de Joabe Lira de Queiroz.

Lira de Queiroz está longe da linha de frente e do Iapen.

Desde janeiro o policial penal ocupa o cargo de secretário municipal de Zeladoria.

A vacinação no Iapen provocou revolta entre os funcionários administrativos, que alegam lidar com as famílias de presos todos os dias, que atendem os presos.

O sindicato da categoria emitiu uma nota denunciando que Ana lista de convocação amplamente divulgada para a vacina consta nomes de policiais penais que se encontram presos, policiais penais cedidos para outros órgãos e policiais que estão fora de suas atividades fins.

Veja a nota:

NOTA DE REPÚDIO SINDSAI

O Sindicato dos Servidores Administrativos do Instituto de Administração Penitenciária do estado do Acre vem a público repudiar a exclusão dos servidores “não policiais Penais”, da lista de servidores da Segurança Pública que serão vacinados contra o covid-19.


Consideramos o ato como uma desvalorização das vidas destes profissionais que também fazem parte da segurança pública e não pararam suas atividades, e estão ali, lado a lado com os policiais penais, nas frentes de trabalho arriscando suas vidas todos os dias assim como os policiais penais.

O Instituto de Administração Penitenciária faz parte da segurança Pública do estado do Acre, todos os servidores sem exceção, fazem parte do mesmo regime.


O critério adequado para essa seleção deve ser o fato do profissional estar na linha de frente do enfrentamento a covid-19 e não a nomenclatura do seu cargo.


Portanto, excluir os servidores administrativos que estão no combate, na linha de frente e que fazem parte do mesmo sistema é no mínimo um absurdo equívoco que deve ser imediatamente corrigido pelas autoridades responsáveis. Ainda mais quando na lista de convocação amplamente divulgada para a vacina consta nomes de policiais penais que se encontram presos, policiais penais cedidos para outros órgãos e policiais que estão fora de suas atividades fins.


Dentro do sistema penitenciário tem sido frequente a exclusão dos servidores técnicos e administrativos quando se trata de receber os bônus. Somos incluídos apenas no ônus, mas na hora do bônus somos excluídos.

Nosso trabalho dentro do sistema penitenciário é essencial para o trabalho dos policias penais e vice-versa. A exclusão também desta representante classista nas negociações e tratativas sobre o assunto é um ato doloso contra a democracia.


Cátia Nascimento – Presidente do Sindsai – Rio Branco/Ac, 06/04/2021.

Related Posts

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

%d blogueiros gostam disto:
Close Bitnami banner
Bitnami