HomeCiênciaA erva dos Andes que energiza como o café e aumenta o...

A erva dos Andes que energiza como o café e aumenta o desejo sexual

Se passam os anos e as ervas adaptogênicas – extratos de plantas que ajudam o corpo a restabelecer o equilíbrio e a se adaptar ao estresse – recuperam a popularidade que tinham centenas de anos atrás nas culturas de onde provinham. É muito provável que alguém tenha ouvido falar ou até mesmo se animado a experimentar algumas delas, como a ashwagandha, maca, ginseng ou a albahaca sagrada que estão tão na moda atualmente.

As ervas adaptogênicas tendem a ser consumidas na forma de pó, cápsulas ou adicionadas a bebidas e alimentos de marcas populares. Entre todas as mencionadas, a maca peruana se destaca por ser a única proveniente da América do Sul. Seu nome científico é Lepidium meyeniies e caracteriza-se por ser uma raiz cultivada na região dos Andes há aproximadamente 2000 anos. Uma curiosidade? Ela cresce apenas acima dos 4.000 metros de altitude e, segundo dados coletados, apresenta até treze variedades, embora as mais conhecidas sejam a negra, amarela e vermelha. A maca é rica em fibras, aminoácidos essenciais, ácidos graxos e outros nutrientes, como vitamina C, cobre, ferro e cálcio. Entre os vários benefícios do seu consumo, o nutricionista Matías Marchetti (CRN 7210) destaca que aumenta os níveis de energia, reduz o estresse, colabora com a saúde sexual e a menopausa, entre outros.

Segundo relata The Maca Team – uma empresa familiar peruana composta por especialistas que cultivam e comercializam maca – décadas atrás, o consumo e a produção da erva adaptogênica haviam caído tanto que se estimava seu desaparecimento no início dos anos 2000. Contra todas as probabilidades, nos anos 90, Luis Castillo, um jovem estudante de direito da área peruana de Junín, emigrou para o Japão em busca de trabalho. Em sua viagem, levou uma porção de sua comida local favorita: a maca. Assim, a história relata que os japoneses com quem Castillo trabalhava notaram o quão forte e enérgico ele era e, ao perguntarem qual era o seu segredo, ele lhes revelou a maca. “Os trabalhadores japoneses imediatamente quiseram experimentá-la e o jovem começou a levar pequenas quantidades da raiz para o Japão. Após confirmar sua eficácia, iniciou ao retornar um negócio dedicado à produção e exportação de maca para o Japão”, conta.

Ao mesmo tempo, ocorria o fenômeno dos crescentes médicos naturistas e alternativos que promoviam os benefícios da maca nos Estados Unidos e Europa. Classificada por eles como um “ginseng peruano”, aumentou sua demanda e, consequentemente, sua oferta. Isso resultou em mais e mais pessoas decidindo cultivar maca na região dos Andes; “Tanto é assim que em 2015 a maca era uma das culturas de superalimentos de exportação mais importantes do Peru”, dizem no The Maca Team.

Maca: benefícios do seu consumo

A forma mais popular de consumir a maca é dissolvendo seu pó em algum líquido (água, chá, leite, smoothies, café, sucos), iogurte ou sopas. Os nutricionistas indicam que também pode ser misturada com cereais e granolas ou ser usada em massas para biscoitos, bolos ou qualquer outro prato em que se deseje combinar seu leve sabor amargo e picante.

Além de possuir nutrientes essenciais, esta raiz contém compostos bioativos que são benéficos para o corpo humano. A revisão de estudos intitulada “Efeitos medicinais da maca peruana (Lepidium meyenii)” documenta as descobertas recentes sobre os efeitos medicinais desta raiz na regulação da disfunção sexual, estimulação cerebral, atividades estabilizadoras de humor, entre várias outras.

1. Aumenta a fertilidade e o desejo sexual

— Acredita-se que a maca (especialmente a negra) apresente benefícios para a fertilidade masculina, melhorando a qualidade do esperma. Esta raiz tem sido usada por séculos como um remédio natural e até mesmo como afrodisíaco — destaca o nutricionista Marchetti.

Além disso, o estudo intitulado “Etnobiologia e Etnofarmacologia de Lepidium meyenii (Maca), uma planta dos Altiplanos Peruanos” comprova que este alimento contém compostos com funções semelhantes às da testosterona sobre as atividades biológicas e indica que os ensaios clínicos realizados demonstraram a eficácia da maca nas disfunções sexuais, bem como no aumento da contagem e motilidade dos espermatozoides.

Outra pesquisa espanhola publicada na revista Andrologia acompanhou 56 homens saudáveis por 12 semanas com um tratamento de maca para, posteriormente, evidenciar o aumento do desejo sexual em até 42,2% nos participantes.

Alguns atletas e fisiculturistas utilizam a raiz de maca como suplemento para aumentar sua energia e melhorar o desempenho. Há evidências que respaldam isso.

Um dos estudos envolveu ciclistas do sexo masculino experientes e treinados, que foram monitorados de perto por duas semanas, recebendo um suplemento de 2.000 mg/dia de extrato de maca. O objetivo era observar o efeito deste suplemento no desempenho de resistência, o que foi comprovado pelas melhorias significativas no desempenho no ciclismo de 40 km em comparação com o teste inicial, ou seja, no qual treinaram sem consumir extrato de maca.

Estudos mais recentes chegaram a conclusões semelhantes; um publicado em 2022 demonstrou que o extrato de maca tinha a capacidade de reduzir a fadiga em mulheres adultas jovens. E outro, com 175 participantes que viviam em altitudes baixas ou altas, mostrou que tomar 3g de maca por dia durante 12 semanas melhorava o humor e os níveis de energia em comparação com o grupo placebo.

3. Melhora o funcionamento cerebral

— Além de aumentar a resistência física, sabemos que a maca colabora com o funcionamento do cérebro, embora isso ocorra com consumo esporádico, ou seja, não quando ingerido diariamente ou como parte de um plano alimentar — aponta Marchetti. — Assim como o café, quando você se acostuma com ele, o efeito desaparece — ele acrescenta.

A maca é considerada um “superalimento” devido ao seu poderoso aporte de nutrientes. “É rica em aminoácidos e contém mais de 90% tanto dos essenciais quanto dos ácidos graxos livres, juntamente com quantidades importantes de cálcio, fósforo, magnésio e potássio. Todos esses nutrientes ajudam o corpo e o cérebro a funcionar bem, resultando na redução do estresse e na melhora da memória”, destacam no The Maca Team.

Quanto às restrições ao consumo de maca, Marchetti ressalta que não é aconselhável para pessoas que sofrem de alguma doença grave e/ou tomam medicação crônica. “Também não é recomendado para mulheres grávidas e lactantes, nem para pessoas com insuficiência renal ou hepática”, acrescenta.

Devido aos seus nutrientes, o profissional alerta sobre o consumo em pessoas com síndrome metabólica, hipertensão arterial, altos níveis de glicose, triglicerídeos elevados e colesterol diminuído, pois seu conteúdo de sódio pode causar uma variação na pressão arterial.

LEAVE A REPLY

Please enter your comment!
Please enter your name here

vale a leitura