VÍDEO: Irregularidades na compra de computadores pela SEE e identificadas pelo TCE têm que ter investigação do MPF e da PF

VÍDEO: Irregularidades na compra de computadores pela SEE e identificadas pelo TCE têm que ter investigação do MPF e da PF

Veja como é a vida.

No dia dois de janeiro, eu levei a público uma transação, no mínimo suspeita, sobre a compra de computadores pela Secretaria de Estado de Educação e Esporte.

Eram dois mil computadores.

Os equipamentos foram adquiridos da empresa C.Com Informatárica, cujo proprietário é genro do deputado estadual José Bestene.

Questionei o fato de a empresa ter, supostamente, entregue dois mil computadores em um dia e ter recebido três dias depois.

Não recebeu um valor qualquer.

O genro de Bestene, o senhor Cristiano Ferreira, embolsou mais de dez milhões e duzentos mil reais.

Cheio de razão e negando as evidências, o genro do José Bestene moveu duas ações contra mim.

As ações estão tramitando na Justiça.

Quem tem dinheiro, principalmente conseguido sem muito esforço, pode contratar advogados caros.

Foi isso que o empresário fez.

Penso que quem não deve, não teme.

Em abril, o vice-governador Wherles Rocha veio a público corroborar com o que eu tinha falado.

Rocha, o novo líder da oposição, denunciou um superfaturamento de até três milhões de reais, na compra dos benditos computadores.

Picado pela mosca da arrogância, o senhor Cristiano também processou o vice-governador.

Incrível! o genro do Bestene conseguiu uniu eu e o vice-governador, o que e raro.

Eu diria quase impossível.

Mas nada como um dia atrás do outro.

Não tivemos nem a segunda audiência e a verdade vem à baila.

Eu estava certo.

O vice-governador também estava certo.

Auditores do Tribunal de Contas do Estado, muito provavelmente motivados pela lebre que levantei, foram verificar os procedimentos.

E descobriram muita coisa errada.

Descobriram muito mais do que podiamos imaginar.

Para início da conversa, foi detectado um sobrepreço superior a dois milhões e setecentos mil reais, para a compra de dois mil computadores.

Até o dia da inspeção, haviam sido pagas mil setencentos e cinquenta máquinas, o que diminui o superfaturamento para dois milhões quatrocentos e seis mil.

Quer saber mais?

A Secretaria de Estado de Educação e Esporte adquiriu equipamentos com configurações inferiores e preços superiores ao mercado, podendo esse superfaturamento se ainda maior.

Vou ler um trecho do relatório dos auditores do TCE:

“Vale ressaltar que, apesar ter tido início no mês de novembro, houve uma celeridade atípica no andamento do processo, especialmente na última semana do ano, entre os dias 23 e 27 de dezembro, incluindo um feriado no dia 25 de dezembro, o que, de certa, forma impacta o funcionamento da administração pública.”

Gente, assim como Papai Noel, trabalharam no Natal.

Será que alguém, além do senhor Cristiano, ganhou presente do bom velhinho?

O que você acha?

Se houve celeridade para pagar, não houve para entregar.

Numa flagrante e gritante ilegalidade, os computadores começaram a chegar no fim de janeiro.

O contribuinte acreano pode ter financiado para que o genro de José Bestene ganhasse muito dinheiro.

São as evidências.

São as provas.

Lembro que na época dessa estranha aquisição, o então secretário adjunto Márcio Mourão foi exonerado.

Foi ele quem ordenou a despesa.

Mas Márcio Mourão, se teve bom senso, não fez o absurdo pagamento sem respaldo de alguém mais alto a lhe guiar.

Fala-se até numa mensagem de gente do andar de cima determinando o pagamento dos mais de dez milhões de reais, de forma ilegal.

Até onde se sabe, esse governo só tem um determinador…

Bem, vou lembrar que o maior volume de recurso é federal.

O governo Gladson Cameli torrou mais de 10 milhões de reais do Fundeb.

Esse é o caso para o Ministério Público Federal e a Polícia Federal investigarem mais a fundo.

Acho que há cheiro de pedala fiscal.

Fica a impressão de que precisavam fechar os 25% constitucionais previstos para a Educação.

Se houver investigação séria, é quase certo que pessoas serão algemadas.

Só para lembrar.

Essa é a segunda denúncia feita por mim, por meio do Portal do Rosas, que atesta atos ilicitos no governo.

A outra foi o escândalo do Depasa, que comprovou o desvio de mais de meio milhão reais pelo antigo diretor-presidente.

O ex-diretor foi preso.

Coincidentemente, assim como fez o genro de Bestene, Tião Fonseca e a sua esposa moveram ações na Justiça contra mim.

Os honestos estão sendo desmascarados, o que facilita a defesa.

Esse governo não resiste à meia hora de investigação séria.

Está sendo corroído pela fome que roedores têm pelo dinheiro público.

A gente, sofre privações e ameaças, mas não se cala.

Finalizo com um veneno:

Por que será que essa história envolvendo o genro de José Bestene só veio à tona agora?

Ele foi concluído em março.

Enquanto isso, Gladson Cameli vai dançando com a sua candidata a prefeita de Rio Branco…

Leonildo Rosas

Related Posts

Virou piada: Gladson muda o tom do discurso, volta a prometer ponte em Xapuri e vira chacota nas redes

Virou piada: Gladson muda o tom do discurso, volta a prometer ponte em Xapuri e vira chacota nas redes

VÍDEO – Trabalhador confirma denúncia do prefeito de Sena Madureira: “Não tinha combustível na ambulância para transportar a minha irmã”

VÍDEO – Trabalhador confirma denúncia do prefeito de Sena Madureira: “Não tinha combustível na ambulância para transportar a minha irmã”

VÍDEO: Prefeito de Sena Madureira grava vídeo criticando o governador

VÍDEO: Prefeito de Sena Madureira grava vídeo criticando o governador

VÍDEO: Sem cumprir as promessas de construir pontes no Acre, Gladson festeja ponte em Rondônia

VÍDEO: Sem cumprir as promessas de construir pontes no Acre, Gladson festeja ponte em Rondônia

1 Comment

Deixe uma resposta