PT protocola pedido de investigação no TCU, MPF e CGU sobre supostas irregularidades no INTO e no Hospital de Campanha de Rio Branco

PT protocola pedido de investigação no TCU, MPF e CGU sobre supostas irregularidades no INTO e no Hospital de Campanha de Rio Branco

O Partido dos Trabalhadores protocolou, na manhã desta terça-feira, 7, um pedido de investigação no Tribunal de Contas da União, no Ministério Público Federal e na Controladoria Geral da União sobre possíveis irregularidades na gestão do INTO/Covid e na construção do Hospital de Campanha.

São pontos fundamentais da acusação:
• A CARÊNCIA DE MÃO DE OBRA E DO FUNCIONAMENTO DO HOSPITAL DE CAMPANHA AQUÉM DE SUA CAPACIDADE;

• A BAIXA EXECUÇÃO ORÇAMENTÁRIO-FINANCEIRA DOS RECURSOS DESTINADOS PELO GOVERNO FEDERAL AO GOVERNO DO ACRE PARA DESPESAS COM ENFRENTAMENTO À COVID-19;

• A SUPOSTA PRÁTICA DE PAGAMENTO DE PROPINA OU EXECUÇÃO DE SERVIÇOS NÃO CONTRATADOS PELO ESTADO DO ACRE PELA EMPRESA GESTORA DA UNIDADE COVID-19 INSTALADA NO INSTITUTO DE TRAUMATOLOGIA E ORTOPEDIA DO ACRE – INTO; e

• O SUPOSTO PAGAMENTO DE PROPINA POR PARTE DE EMPRESA PRIVADA À DIRETORA EXECUTIVA DO DERACRE, EM OBRA REALIZADA NO INTO/HOSPITAL DE CAMPANHA.

Mediante tais exposições, o Partido dos Trabalhadores requereu aos órgãos competentes a abertura de inquérito civil público.

Leonildo Rosas

Related Posts

Bocalom volta atrás e revoga decreto sobre abertura das igrejas e templos religiosos

Bocalom volta atrás e revoga decreto sobre abertura das igrejas e templos religiosos

Denúncia contra Marcus Alexandre visa encobrir casos de corrupção no governo de Gladson

Denúncia contra Marcus Alexandre visa encobrir casos de corrupção no governo de Gladson

Daniel Zen cobra explicações sobre novo escândalo na Secretaria de Educação

Daniel Zen cobra explicações sobre novo escândalo na Secretaria de Educação

Leo de Brito pede extinção de auxílio de saúde e alimentação para parlamentares

Leo de Brito pede extinção de auxílio de saúde e alimentação para parlamentares

No Comment

Deixe uma resposta