Partidos organizam primeira manifestação virtual pelo impeachment de Bolsonaro

Partidos organizam primeira manifestação virtual pelo impeachment de Bolsonaro

Por Flávio Said

Congresso em Foco

Cinco partidos – Rede Sustentabilidade, PV, PSB, PDT e Cidadania – organizam um ato virtual intitulado “Janelas pela Democracia: Impeachment Já”, que visa reunir manifestações populares pelo impeachment do presidente Jair Bolsonaro. As cinco siglas já ingressaram na Câmara dos Deputados com denúncias por crime de responsabilidade contra o presidente.

O ato ocorrerá nos ambientes da web e nas janelas espalhadas pelo Brasil na próxima terça-feira (19), a partir das 18h30, com transmissão pelas redes sociais dos organizadores. Além das lideranças políticas, a manifestação também contará com a participação de artistas, intelectuais e organizações da sociedade civil.

Segundo o porta-voz nacional da Rede, Pedro Ivo, a ideia do ato surgiu da necessidade de combater condutas ilegais assumidas pelo Presidente da República, que podem ser enquadradas como crime de responsabilidade e passíveis de impeachment. “Como nós não podemos ir para a rua porque respeitamos as orientações da Organização Mundial da Saúde e dos especialistas da medicina e da ciência, nós resolvemos fazer essa manifestação virtual”, disse ele.

Neste domingo (17), o presidente provocou nova aglomeração ao incentivar e participar de ato em defesa de seu governo, ao lado de ministros de Estado. Foi a 63ª violação ao isolamento social, segundo levantamento do UOL.

Além da transmissão virtual, o ato “Janelas pela Democracia” vai incentivar que a população se manifeste pelas janelas, através de panelaços, apitos e instrumentos musicais. Também será incentivado o uso de roupas verde e amarelas, símbolo pátrio que os organizadores consideram que foi apropriado pelo bolsonarismo.

“Está na hora de esquecer nossas diferenças e se unir pelo Brasil. Está muito clara a distância do presidente da realidade do país. Por isso sou favorável impeachment”, diz o ator Marcos Palmeira em vídeo enviado à organização.

“Precisamos defender a democracia, a vida, a finidade humana. O impeachement é um ato democrático de legítima defesa”, afirma Marina Silva.

Frente ampla

A ideia, segundo o porta-voz da Rede, é que o ato seja capaz de reunir todos os partidos que são favoráveis ao impeachment do presidente Bolsonaro numa frente ampla, sem diferenciação entre os partidos de esquerda e direita. “Para votar [pedido de impeachment] no Congresso Nacional precisa de maioria. Então, só partidos de oposição não são suficientes”, afirmou Pedro Ivo ao Congresso em Foco.

Maior partido da oposição, até poucos dias, o PT ainda não havia firmado posição em prol do impeachment. Mas na última sexta (15), a presidente nacional da sigla, deputada Gleisi Hoffmann (PR), anunciou que a Executiva partidária decidiu apresentar um pedido de impeachment e fará campanha pelo “Fora, Bolsonaro”.

Leonildo Rosas

Related Posts

Comissão Aleac presidida por Edvaldo Magalhães pede investigação do MPAC a respeito do Avancard

Comissão Aleac presidida por Edvaldo Magalhães pede investigação do MPAC a respeito do Avancard

Léo do PT e Pedro Longo devem assumir mandatos dos cassados Manuel Marcos e Juliana Rodrigues

Léo do PT e Pedro Longo devem assumir mandatos dos cassados Manuel Marcos e Juliana Rodrigues

Edvaldo Magalhães pede apreciação imediata do projeto de sua autoria que beneficia os militares

Edvaldo Magalhães pede apreciação imediata do projeto de sua autoria que beneficia os militares

“Devolver os serviços de saneamento aos municípios é falta de compromisso com a população”, diz Forneck sobre Gladson Cameli

“Devolver os serviços de saneamento aos municípios é falta de compromisso com a população”, diz Forneck sobre Gladson Cameli

No Comment

Deixe uma resposta

Colunistas

Encontre-nos

Endereço
Av. Paulista, 123456
São Paulo, SP, CEP: 01311-300

Horário
Segunda—sexta: 9h–17h
Sábados e domingos: 11h–15h