O rapaz age como português de piada, mas não é aconselhado pelo portuga inteligente

Precisa ser profundo desconhecedor das coisas do Acre para imaginar que os passos trôpegos do rapaz são orientados a partir do habitante ilustre da Avenida Ceará.

Onde tem um Tribunal de Contas.

Se estive sendo orientado por Antônio Malheiro, com é dito e insinuado em setores da imprensa, o rapaz do bafômetro não estaria fazendo tantas barbeiragens.

As trapalhadas parecem piadas brasileiras de português burro.

Mas o português do TCE tem inteligência de sobra. Não iria arriscar a sua biografia e o seu cargo nesse barco sem timoneiro.

Tenho certeza de que o conselheiro político e administrativo do rapaz não está sendo o conselheiro da corte de contas.

Mas não está sendo mesmo.

Até que não seria mal para o Acre se o moço voltasse aos seus antigos conselheiros.

Eu acho.