Gladson não pode abrir mão do salário por falta de mecanismo legal

Gladson não pode abrir mão do salário por falta de mecanismo legal

Governador e secretários podem receber e fazer doações espontâneas

Até quando Gladson Cameli continuará com a sua barata politica populista é o que ninguém sabe.

A última “foba” do governador é que ele abrirá mão do seu salario por três meses, a fim de ajudar aos atingidos pela pandemia do coronavirus com cestas básicas.

Cameli joga para a plateia. 

Aposta na desinformação para ficar com a imagem de bom moço perante a população.

Ele sabe – ou deveria saber – que não há mecanismo legal para que deixe de receber os seus proventos mensais. 

Como funcionário públicos, os seus proventos caem mensalmente na sua conta bancária.

Nem a caneta de governador lhe dar poder para reverter essa situação. 

Uma forma de Cameli deixar de receber o seu robusto salário é a que ele está longe de querer: renunciando ao cargo.

Mas deixando de ser governador ele ficaria sem salário e não teria como fazer a politicagem.

Em Minas Gerais, o governador Romeu Zema também chegou a anunciar que abriria mão dos seu vencimentos, mas foi impedido pela lei. Por isso, encaminhou projeto à Assembleia Legislativa mineira com essa finalidade.

Aqui, se realmente quiser levar à frente a sua fraca palavra, o governador terá que contar com o aval dos deputados.

Pelas regras atuais, ele será obrigado a receber e, se realmente quiser, poderá fazer a doação. 

O mesmo raciocínio serve para os secretários de Estado, que foram orientandos pelo chefe a abrir mão dos seus salários. Isso é piada pronta.

Diferentes do governador os secretários não têm todas as despesas pagas pelo contribuintes acreano. São funcionários públicos que estão em situação provisória no exercício de funções graduadas, mas estão longe de querer trabalhar na base da filantropia. 

Como está tão humilde, Cameli e o seu vice-governador Wherles Rocha poderiam também abrir mão de ter as despesas das suas residências oficiais pagas pelo erário.

Leonildo Rosas

Related Posts

Frank Lima perdeu a condição de permanecer como secretário de Saúde de Rio Branco

Frank Lima perdeu a condição de permanecer como secretário de Saúde de Rio Branco

Sem os bilhões prometidos, construção civil do Acre se contenta com as pequenas obras

Sem os bilhões prometidos, construção civil do Acre se contenta com as pequenas obras

É dever até dos aliados não levar a candidatura de Márcia Bittar ao Senado a sério

É dever até dos aliados não levar a candidatura de Márcia Bittar ao Senado a sério

Construção do Centro Administrativo sobe o telhado; a determinação é investir em pequenas obras

Construção do Centro Administrativo sobe o telhado; a determinação é investir em pequenas obras

No Comment

Deixe uma resposta