Gladson Cameli vira as costas para servidor da Saúde, mas vai gastar mais de R$ 6 milhões com auxílio emergencial para a Segurança, durante três meses

Gladson Cameli vira as costas para servidor da Saúde, mas vai gastar mais de R$ 6 milhões com auxílio emergencial para a Segurança, durante três meses

Projeto de Lei chegou à Aleac e será votado em sessão extraordinária

Orientada pelo Palácio Rio Branco, a bancada de apoio do governo na Assembleia Legislativa (Aleac) vetou a proposta de pagar insalubridade a todos os servidores da Saúde estadual durante o período de pandemia do novo coronavírus.

A recusa do governo levou o PC do B a ingressar com mandado de segurança na Justiça. A decisão está nas mãos do desembargador Écio Sabo.

Mas, se foi padrasto com quem trabalha na Saúde, se expondo a todos os tipos de riscos, Gladson Cameli é uma paizão para a turma da segurança, base eleitoral do seu vice-governador Wherles Rocha.

No início da tarde, os deputados foram convocados pelo presidente da Aleac para uma sessão extraordinária.

Os deputados irão se reunir para debater, e aprovar, o Projeto de Lei que cria o Auxílio Temporário de Emergência em Saúde (ATS) destinado aos agentes da área da segurança pública, a fim de suprir os gastos excepcionais e emergenciais decorrentes da exposição excessiva aos efeitos da pandemia causada pelo novo coronavírus.

O auxílio terá o valor de R$ 420, com impacto mensal aproximado de R$ 2 milhões, com a efetiva contemplação de mais de 4.500 servidores da área da segurança.

Por ter natureza excepcional, precária e temporária, o auxílio se extinguirá após 90 dias após a publicação da lei, tendo a possibilidade de que este prazo seja prorrogado durante o período que perdurar o reconhecimento do estado de calamidade pública no âmbito do Estado, desde que haja disponibilidade financeira e orçamentária

Leonildo Rosas

Related Posts

Leo de Brito questiona possível desperdício de 6,8 milhões de testes da Covid-19 e estoque de cloroquina

Leo de Brito questiona possível desperdício de 6,8 milhões de testes da Covid-19 e estoque de cloroquina

Leo de Brito pede suspensão de portaria do MEC que prejudica professores dos Institutos Federais

Leo de Brito pede suspensão de portaria do MEC que prejudica professores dos Institutos Federais

Leo de Brito lidera bancada petista para que o auxílio-emergencial retorne aos 600 reais

Leo de Brito lidera bancada petista para que o auxílio-emergencial retorne aos 600 reais

Edvaldo Magalhães quer abertura do diálogo entre governo, Aleac e cadastro de reserva da PMAC

Edvaldo Magalhães quer abertura do diálogo entre governo, Aleac e cadastro de reserva da PMAC

No Comment

Deixe uma resposta

Colunistas

Encontre-nos

Endereço
Av. Paulista, 123456
São Paulo, SP, CEP: 01311-300

Horário
Segunda—sexta: 9h–17h
Sábados e domingos: 11h–15h