Da Assessoria

Atendendo a convocação do requerimento do deputado Jenilson Leite (PCdoB), a secretária de Estado de Saúde do Acre, Mônica Kanaan, foi sabatinada por cerca de duas horas na Comissão de Saúde da Assembleia Legislativa, para explicar os primeiros diagnósticos feito pela sua equipe à frente da pasta e o modo que ela fará para sanar os inúmeros problemas da saúde do estado.

Aos deputados, a gestora afirmou que o problema da saúde não é a falta de recurso, mas sim de gestão. Contudo, às medidas que ela está adotando vão ajudar a organizar o sistema. Além disso, Kanaan nega haver cartel na saúde, desmentindo o governador que por várias vezes afirmou que existe um quartel dentro da pasta, por isso a saúde tem tantos problemas. Todavia, ela acusou os profissionais de fazer “corpo mole”.

Para Mônica Kanaan, apenas 20% trabalha como preceitua as normas do contrato, os outros 80% fazem corpo mole.

A indicada de Cameli afirmou que o grande problema da saúde está centrado na atenção básica, que é de responsabilidade da prefeitura.

“Mais 80% dos que procuram o PS devem ser atendidos em casa ou nos postos de saúde do bairro”.

Já com relação a falta de medicamento, a secretária disse que uma das medidas para sanar o problema, será a descentralização das licitações.

Ao questionar a gestora, o deputado e médico Jenilson Leite, autor do requerimento, listou os principais problemas enfrentados na saúde do Acre como a falta de medicamentos e profissionais para atender em todo o estado.

“Entendemos que em seis meses já teria dado para encaminhar o rumo da saúde do Acre. Quero listar alguns pontos que já deveria ter sido solucionado nesses seis meses como a falta de medicamentos e falta de profissionais”, diz o parlamentar.

Jenilson aproveitou para questionar a secretária quais ações estão sendo tomadas para resolver o problema da falta de remédios, de profissionais e sobre os servidores do Pró-Saúde, que correm risco de demissão.

Em resposta ao parlamentar, Mônicia Kanaan afirmou que sua equipe ainda está “conhecendo a casa” para poder resolver os problemas. “Nossa equipe acabou de chegar e ainda estamos conhecendo a casa e analisando os problemas”.

Sobre o Pró-Saúde, disse que vai resolver fazendo o sistema funcionar, mas não explicou como vai fazer.

Foto: Jardy Lopes.