Edvaldo Magalhães identifica festival de irregularidades na Ageac

Edvaldo Magalhães identifica festival de irregularidades na Ageac

Ao nomear a senhora Mayara Cristine Bandeira de Lima, para o exercício do cargo de diretor geral da Ageac, com base no Artigo 5, parágrafo segundo, da Lei Complementar 278, o governador cometeu a primeira ilegalidade, mesmo que interinamente.

O deputado estadual Edvaldo Magalhães (PC do B) mergulhou na legislação e constatou os atropelos legais.

Como será demonstrado a seguir, ele dispunha de quatro opções em pleno gozo de direitos para, se assim desejasse, designar para o exercício interino. Os quatro cargos criados pela Lei Complementar 278, aprovados pela Aleac, estão em pleno gozo de direitos, pois seus mandatos não foram concluídos. Os decretos a seguir são a prova material desta afirmação:

Não bastasse o primeiro erro primário (nomeação da diretora geral sem que o Poder Legislativo houvesse autorizado), o Chefe do Poder Executivo continuou abusando do direito de errar. Baixou mais três atos que afrontam a Lei 278, como poderemos ver a seguir:

Nomeou Ângela Maria Ferreira para exercer o cargo de Chefe do Departamento Jurídico da Ageac, quando o mandato de Henry Marcel Valero Lucin sequer havia sido concluído. 

Duas ilegalidade: nomeação sem aprovação do Poder Legislativo e usurpação de mandato devidamente aprovado pela Assembleia Legislativa do Acre.

Nomeou Leonardo Zanforlin Barbosa, para exercer o cargo de Chefe do Departamento Executivo de Administração e Finanças da Ageac, quando o mandato de Francisco Calixto da Rocha sequer havia sido concluído. Mais duas ilegalidades cometidas num único ato.

Nomeou Cícero Rodrigues de Souza, para exercer o cargo de Chefe do Departamento De Qualidade dos Serviços e Tarifas da Ageac, de forma INTERINA, quando o mandato dele mesmo, não havia terminado. Usurpação de mandato e do poder delegado pelo Legislativo.

Como se pode demostrar, são muitas as trapalhadas. Por isso o resultado da votação desta semana, 22 votos contra. Apenas um único favorável.

“Se o governador bem pensar, revoga imediatamente todos estes atos ilegais. As pessoas envolvidas não podem praticar atos administrativos. São nulos de pleno direito. Estão recebendo salários de forma irregular”, comentou o deputado estadual Edvaldo Magalhães (PC do B).

Magalhães adiantou que, na próxima terça, apresentará requerimento para que Cameli revogue todas as nomeações irregulares e renomeie os chefes de Departamento que foram indevidamente exonerados em pleno direito de exército de mandato, devidamente aprovados pela Assembleia Legislativa do Estado do Acre.

Hugo Costa

Related Posts

Moisés Diniz é apontado como provável presidente do Depasa

Moisés Diniz é apontado como provável presidente do Depasa

Gladson exonera toda diretoria do Depasa

Gladson exonera toda diretoria do Depasa

Mulher é nomeada na Sesacre, nunca trabalhou e continua recebendo normalmente

Mulher é nomeada na Sesacre, nunca trabalhou e continua recebendo normalmente

Site ‘porta-voz’ do governo confirma informação dada pelo Portal do Rosas: Edvan Maciel será exonerado da Sepa

Site ‘porta-voz’ do governo confirma informação dada pelo Portal do Rosas: Edvan Maciel será exonerado da Sepa

No Comment

Deixe uma resposta

Colunistas

Encontre-nos

Endereço
Av. Paulista, 123456
São Paulo, SP, CEP: 01311-300

Horário
Segunda—sexta: 9h–17h
Sábados e domingos: 11h–15h