O novo futuro anunciado pelo governo do Estado está ficando com a cara de um velho passado.

Passado em que a Educação do Acre figurava entre a pior em qualidade do Brasil.

Depois de ter sido adiado por duas vezes, o início letivo não ocorrerá em todas as escolas na segunda-feira, como fora anunciado pela Secretaria de Estado de Educação.

Não terá início porque o modelo de gestão implantado desde janeiro tem sido reprovado com nota zero.

Vem de Xapuri o comunicado que não haverá aula na Escola Divina Providência. O motivo: falta de professores.

Em Cruzeiro do Sul, segunda maior cidade do Acre, o Conselho de Gestores se reuniu, analisou os vários problema é deliberou que iniciará o ano letivo dia 18. Mas, para valer mesmo, somente dia 25.

Situações semelhantes estão registradas em todo Acre.

O atraso ocorre em consequência das muitas trapalhadas do atual governo. Pais voltaram a dormir nas portas das escolas para garantir matrículas dos filhos.

O quadro de professores, por conta de decisões equivocadas, não ficou completo em diversas escolas.

Nos últimos 20 anos, a Educação experimentou grandes avanços. Saiu da última posição para as primeiras do país.

O retrocesso é tudo que o acreano não quer para o novo futuro.