Jair Bolsonaro brinca com fogo quando anuncia cortes mortais na Educação pública.

Pelo país a fora, as ruas foram tomadas por manifestantes que não querem ver o futuro exterminado.

No Acre, há muito tempo não se via um movimento dessa magnitude.

Sindicatos, centrais sindicais e parlamentares do campo democrático, como o petista Daniel Zen, organizaram um ato do tamanho que a situação merece.

Curiosamente, os integrantes da Universidade Federal do Acre (Ufac) não cerraram fileira com os demais manifestantes.

Optaram por realizar ato isolado nas dependências da própria instituição.

O ato de hoje foi considerado um esquenta.

Dia 14 está marcada uma greve geral.

Fotos: Sérgio Vale.