Bira denuncia “gabinete do ódio” em Xapuri e pede que poupem sua família

Bira denuncia “gabinete do ódio” em Xapuri e pede que poupem sua família

Do Blog Xapuri Agora!

A três semanas das eleições municipais, o clima da campanha eleitoral em Xapuri se tornou tenso e foi tomado por uma onda de ataques e denúncias que tem tido como alvo o atual prefeito e candidato à reeleição Bira Vasconcelos, do Partido dos Trabalhadores (PT).

Publicadas por um jornal online estabelecido em Rio Branco e compartilhadas massivamente nas redes sociais, uma série de matérias imputam ao candidato petista as acusações de manter casos amorosos com duas mulheres que seriam funcionárias fantasmas da prefeitura. 

O prefeito ainda é acusado de manter em folha de pagamento pelo menos quatro cargos comissionados que seriam estudantes de medicina na Bolívia, o que também significaria que esses funcionários estariam recebendo seus vencimentos salariais sem prestar serviço nas funções para as quais foram supostamente contratados.

As matérias, sempre baseadas em fontes não identificadas pelo veículo, também relatam que os fatos narrados fazem parte de um inquérito policial instaurado pela Delegacia de Combate a Crimes de Corrupção e aos Crimes contra a Ordem Tributária e Financeira (Decor). 

blog manteve contato com o delegado Pedro Henrique Resende Teixeira Campos, da Decor, que confirmou haver, realmente, uma denúncia dessa natureza que chegou recentemente à delegacia, mas disse não poder prestar nenhuma informação adicional sobre o objeto da investigação.

A reportagem procurou também o prefeito, que negou todas as acusações e atribuiu as denúncias a uma campanha de difamação que, segundo ele, tem por objetivo interferir de maneira ilegal no processo eleitoral em que aparece como favorito. Bira afirmou que existe um “gabinete do ódio” atuando em Xapuri.

“É estranho que essas histórias apareçam justamente agora, a poucas semanas da eleição. É perceptível que existe um desespero dos nossos adversários para mudar a realidade do processo eleitoral que se mostra favorável à nossa campanha e às nossas propostas de seguir fazendo o melhor para Xapuri”, afirmou.

blog também buscou informações a respeito da situação funcional das duas servidoras citadas nas denúncias. Ana Carla Oliveira Caetano e Atila Ferreira de Araújo exercem cargos em comissão na Secretaria Municipal de Meio Ambiente (Sematur) e no Gabinete da Vice-Prefeita Maria Auxiliadora, respectivamente. 

A reportagem obteve informações junto a funcionários da prefeitura de que ambas comparecem regularmente ao trabalho, o que foi, também, confirmado pelo secretário da Sematur, Juscelino Facundo, onde atua Ana Carla, e pela vice-prefeita Maria Auxiliadora, de quem Atila Ferreira é secretária. 

Por telefone, Ana Carla afirmou que sempre trabalhou regularmente e garantiu não existir nenhuma razão para que alguém a acuse de ser funcionária fantasma. Ela disse que sua residência é em Xapuri, de onde sai apenas nos feriados e fins de semana para ficar na casa do namorado, que mora em Epitaciolândia.

“Eu trabalho normalmente, apesar de que agora, em razão da pandemia, estamos em horário reduzido. Só que nos dias de folga eu vou para Epitaciolândia ficar na casa do meu namorado e retorno para Xapuri nos meus dias de trabalho, conforme a escala”, explicou.

A reportagem não conseguiu contato com Atila Ferreira, mas nas redes sociais ela manifestou repúdio às denúncias que envolvem seu nome e afirmou que “o jogo sujo dos que têm o objetivo de atingir o prefeito também está denegrindo pessoas e reputações estão sendo arrastadas na lama por conta disso”. 

blog não fez questionamentos relacionados aos supostos casos amorosos citados pelas matérias divulgadas pelo jornal que propagou as denúncias contra o prefeito por entender que o assunto não diz respeito ao interesse público, além de causar constrangimento às pessoas envolvidas. 

Outro servidor enredado nas denúncias e acusado se ser funcionário fantasma é Marco Aurélio de Amorim Maia, apontado como um estudante de medicina na Bolívia que receberia sem comparecer ao trabalho. Ele chega a ser mostrado em uma foto entre estudantes na Bolívia, mas nega que a imagem seja sua.

Em um áudio divulgado em um grupo de whatsapp, ele diz que quem aparece na foto divulgada pelo jornal é outra pessoa, que foi exonerada da prefeitura ainda em 2016. Marco, que é funcionário da Secretaria de Agricultura, diz que vai buscar na justiça a reparação pela acusação que recebeu.

“Pessoal, eu sou o Marco Aurélio. Esse pessoal do jornal tá tentando me prejudicar, sou eu. Não sou nenhum funcionário fantasma, sou funcionário da agricultura. O Márcio, que é o estudante de medicina que eles estão falando foi exonerado desde 2016. Vou procurar os meus direitos, pois isso é uma bandidagem”, afirmou em um trecho do áudio.

Na noite desta segunda-feira, 26, o prefeito Ubiracy Vasconcelos divulgou um vídeo na sua página de campanha no Facebook. Ele disse que tomará todas as medidas judiciais contra os envolvidos nas denúncias que chamou de fake news e voltou a afirmar que existe um “gabinete do ódio” operando em Xapuri.

“Peço aos meus adversários que se limitem a falar da administração, que não foi feito isso ou aquilo, mas deixem a minha vida pessoal e a minha família em paz. Nós representaremos todas essas difamações e publicações mentirosas na Justiça Eleitoral. Existe um gabinete do ódio também em Xapuri”, concluiu.

Leonildo Rosas

No Comment

Deixe uma resposta

Colunistas

Encontre-nos

Endereço
Av. Paulista, 123456
São Paulo, SP, CEP: 01311-300

Horário
Segunda—sexta: 9h–17h
Sábados e domingos: 11h–15h