Acre elege Marcio Bittar para tirar dinheiro da Saúde e da Educação de mais de 200 milhões de brasileiros

Acre elege Marcio Bittar para tirar dinheiro da Saúde e da Educação de mais de 200 milhões de brasileiros

O Acre é um dos menores colégio eleitorais do país. Não tem 1% do eleitorado brasileiro.

Mas no Senado da República, com três senadores, tem o mesmo peso de São Paulo, por exemplo.

Por isso, há uma importância gigante na eleição de um senador.

Não se deve questionar o voto. Esse é um dos pilares da democracia.

Os efeitos do voto, isso sim, devem e podem ser questionados.

Eleito pelo minúsculo estado do Acre , o aventureiro Marcio Bittar (MDB) poderá levar os brasileiros à uma aventura sem volta, com prejuízos irreparáveis ao presente e, principalmente, ao futuro.

Disposto a tudo para agradar ao presidente da República, Jair Bolsonaro, a fim de um dia se tornar ministro, Bittar é relator da PEC Emergencial e simplesmente quer acabar com os gastos mínimos com a Saúde e a Educação.

Como se trata de uma PEC, é necessário o apoio de pelo menos 49 senadores e 308 deputados em dois turnos de votação na Câmara e no Senado.

A Constituição hoje exige que estados e municípios apliquem ao menos 25% de sua receita resultante de impostos e transferências na manutenção e no desenvolvimento da Educação.

Na Saúde, o percentual mínimo é de 12% da receita para estados e 15% para municípios.

O relatório da Bittar vem num momento é que o Sistema Único de Saúde (SUS) se mostra fundamental no atendimento dos pacientes atingidos pela pandemia da Covid-19.

Os recursos “carimbados” para a Educação são fundamentais em um país onde a desigualdades sociais são gritantes e os mais excluídos encontra no estudo oportunidades para buscarem novos caminhos.

Marcio Bittar, um obscuro politico que ganhou um mandato no Acre, pode, com o aval de Jair Bolsonaro, atingir o presente e o futuro de mais de 200 milhões de brasileiros e brasileiras.

São as consequências do voto.

Leonildo Rosas

Related Posts

Cheio da grana: Bolsonaro diz que mandou R$ 8,1 bilhões a Gladson em 2020

Cheio da grana: Bolsonaro diz que mandou R$ 8,1 bilhões a Gladson em 2020

VÍDEO: Gladson vai a Sena Madureira, faz politicagem e nem atende telefonema do prefeito Mazinho

VÍDEO: Gladson vai a Sena Madureira, faz politicagem e nem atende telefonema do prefeito Mazinho

Em vez de trabalhar, Bocalom viaja novamente e emite nota de solidariedade ao povo de Rio Branco

Em vez de trabalhar, Bocalom viaja novamente e emite nota de solidariedade ao povo de Rio Branco

Gladson Cameli exonera esposo da vereadora Lene Petecão sem comunicação prévia

Gladson Cameli exonera esposo da vereadora Lene Petecão sem comunicação prévia

1 Comment

  1. A cria ataca ! Isso é um ataque aos direitos sociais. Não sabe ele que os avanços mínimos que tivemos no Brasil, nas áreas sociais de saúde e educação são frutos de longos debates, de construção coletiva e democrática. Que , por isso, conseguimos minimamente nivelar os investimentos em todos o país, como forma de reduzir a desigualdade e garantir direitos de forma mais igualitária. Ele presta um desserviço à sociedade, envergonha o povo que ama o Acre. Não representa o povo brasileiro.

Deixe uma resposta

Encontre-nos

Horário
Segunda—sexta: 9h–17h
Sábados e domingos: 11h–15h