2ª Vara do Tribunal do Júri marca julgamento do caso de feminicídio de cidadã chilena

2ª Vara do Tribunal do Júri marca julgamento do caso de feminicídio de cidadã chilena

Crime ocorreu em fevereiro deste ano; acusado está preso e será submetido a julgamento no dia 2 de setembro

A 2ª Vara do Tribunal do Júri e Auditoria Militar da Comarca de Rio Branco confirma julgamento do acusado de crime de feminicídio de cidadã chilena, ocorrido em Rio Branco, para o próximo dia 2 de setembro.

Segundo a representação criminal, o crime ocorreu no dia 1 de fevereiro de 2020, nas imediações da Av. Amadeo Barbosa, segundo distrito de Rio Branco. Segundo denúncia, o crime foi movido por “repugnante sentimento de posse”, uma vez que o réu nutria interesse sexual pela vítima e soubera que ela iria ‘deixá-lo’, indo para a cidade de Porto Velho (RO).

Ainda de acordo com a denúncia, embora não fosse correspondido, o acusado teria ganhado a confiança da vítima, fornecendo-lhe alimentação e “abrigando-a ocasionalmente em sua residência”, nos dias que antecederam o crime, período em que mantiveram “breve relação”.

A sentença de pronúncia do juiz de Direito titular da unidade judiciária, Alesson Braz, aponta para incidência, no caso, das qualificadoras de: feminicídio, motivo torpe (ciúme possessivo) e utilização de recurso que dificultou/impossibilitou a defesa da vítima.

Vale ressaltar a celeridade na apreciação da denúncia, que demonstra a prioridade atribuída pelo Poder Judiciário do Acre em dar uma resposta vigorosa, rápida e assertiva aos autores de crimes de feminicídio, bem como de outros delitos envolvendo violência contra a mulher.

Na mesma pauta do dia 2 de setembro, também foram agendados mais dois julgamentos de crime contra a vida, praticado contra mulheres.

Leonildo Rosas

Related Posts

Inquérito que investiga Marcio Bittar por uso de cota parlamentar fica no STF

Inquérito que investiga Marcio Bittar por uso de cota parlamentar fica no STF

Justiça Federal  acolhe pedidos do MP e Defensorias e ordena que vacinação de forças de segurança do Acre siga as regras de prioridades

Justiça Federal acolhe pedidos do MP e Defensorias e ordena que vacinação de forças de segurança do Acre siga as regras de prioridades

Justiça condena delegado e agente por prática de discriminação em desfavor das pessoas com deficiência

Justiça condena delegado e agente por prática de discriminação em desfavor das pessoas com deficiência

Judiciário do Acre realiza mais de 2 milhões de atos durante o primeiro ano da pandemia

Judiciário do Acre realiza mais de 2 milhões de atos durante o primeiro ano da pandemia

No Comment

Deixe uma resposta